PUBLICIDADE
Topo

Mãe de Paulo Gustavo chama Bolsonaro de 'idiota' por zombar da pandemia

Dea e Paulo Gustavo - Imagem: Reprodução/Instagram@paulogustavo31
Dea e Paulo Gustavo Imagem: Imagem: Reprodução/Instagram@paulogustavo31

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/06/2021 15h34Atualizada em 22/06/2021 15h51

Dea Lúcia, mãe de Paulo Gustavo, comentou sobre as declarações negacionistas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido-RJ) a respeito da pandemia de covid-19, que fez 500 mil vítimas no Brasil desde o ano passado. O humorista morreu em maio por complicações da doença, após passar semanas internado em um hospital do Rio de Janeiro. Ele tinha 42 anos.

Ao publicar um comparativo de mortes em países com população semelhante a do Brasil, Dea Lúcia não poupou o presidente na legenda: "E esse idiota debochando da covid. Agredindo a jornalista e falando palavrão", escreveu ela, se referindo ao ataque de Bolsonaro contra uma jornalista durante sua passagem por Guaratinguetá na tarde de ontem, e que repercutiu nas redes sociais.

Nos comentários, a maioria dos comentários defendeu a visão de Dea Lucia. Fil Braz, amigo de Paulo Gustavo e roteirista de boa parte de seus filmes e séries, deixou um desabafo. "Como disse um tio meu que votou nele: ele não tem envergadura para ser presidente. Eu tenho mil outros motivos mais graves até do que esse para criticá-lo. Mas mesmo que eu concordasse com outros pontos dele, mesmo que ele defendesse o que eu acredito, ele não tem compostura, não tem estatura intelectual, emocional, para ser representante máximo de um país", anotou.

Outros famosos também deixaram suas manifestações. Drica Moraes pediu: "Fora Bolsonaro, por favor". Thalita Rebouças também deixou um comentário sobre o presidente: "Um imbecil". Outros seguidores de Dea Lucia também apareceram para concordar. Obrigada, dona Dea! Obrigada por sua voz", disse uma delas. "É desumano. Como ainda continua no poder?", questionou um segundo.

Há alguns dias, ela já havia criticado o presidente quando compartilhou uma mensagem qualificando como "assassino" aquele que desobrigar a população do uso de máscaras em meio à pandemia no Brasil.

O posicionamento veio após Bolsonaro anunciar que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, publicaria em breve um parecer "para tirar esse símbolo que tem utilidade para quem está infectado". Déa compartilhou o texto de uma usuária do Twitter e afirmou que "assina embaixo" o conteúdo da mensagem. Ela ainda fez um apelo à população: "Usem máscara, amigos".

Um aviso: quem disser a você para deixar de usar máscara durante pandemia descontrolada é um assassino. Saia de perto, corte relações. Não presta.