PUBLICIDADE
Topo

Isabelle Drummond escondia maços de cigarro de adultos na época do 'Sítio'

Isabelle Drummond - Reprodução/Instagram
Isabelle Drummond Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/06/2021 09h40

Isabelle Drummond marcou a infância de muita gente ao interpretar a espevitada boneca Emília no "Sítio do Pica Pau Amarelo" (TV Globo). Hoje aos 27 anos, a atriz revela que não era só a personagem que era sapeca.

"As pessoas me contam tantas histórias do passado. Que eu perguntava várias coisas de adulto, eu me metia na vida delas (risos)... Me lembro que de vez em quando eu sumia com uns maços de cigarro porque eu via aquelas fotos horríveis. E tinha pessoas que eu amava muito, que eu era apegada. Aí eu escondia o cigarro", contou em entrevista à Patrícia Kogut.

Eles ficavam loucos: 'Onde está meu maço, Isabelle? Onde está meu maço?'

"Minha mãe passou maus bocados comigo. Hoje ela lembra com alegria. Eu dei muito trabalho na infância. Depois eu fiquei quietíssima. Quando acabou o 'Sítio', eu já era uma pessoa quieta para caramba. Era aquela fase de adolescente, né? As pessoas nem me reconheciam. Falavam: 'Cadê a Emília? Desapareceu'. Normal, né? Foi muita energia gasta", complementou Isabelle.

Ela contou que não conseguiu se despedir de Nicette Bruno, que interpretava a Dona Benta no seriado infantil e faleceu em dezembro do ano passado, vítima de covid-19.

"Infelizmente não consegui reencontrá-la. Foi uma dor enorme para mim. A pandemia veio quando a gente estava para se encontrar. Aí ela pegou Covid, enfim...", disse a atriz.

Isabelle ainda esclareceu "não guardar traumas" do seu primeiro beijo ter sido dado em frente às câmeras, quando ela ainda era criança.

(...) Na primeira infância, no 'Sítio', tive acompanhamento de muita gente. O (Roberto) Talma (diretor) foi muito sensível. Ele cuidou muito bem das crianças. Porque éramos pequenos, né? Tinha uma psicóloga no meio e foi um trabalho importantíssimo. Mas tem coisas naturais que acontecem... Como foi a questão do beijo. Mas não ficou nenhum trauma. Só que eu falei e gerou o maior burburinho (risos). Foi engraçado até.