PUBLICIDADE
Topo

Thiago Lacerda relembra 'Terra Nostra' e par com Ana Paula Arósio

Giuliana (Ana Paula Arósio) e Matteo (Thiago Lacerda) protagonizaram "Terra Nostra" - Divulgação/Globo
Giuliana (Ana Paula Arósio) e Matteo (Thiago Lacerda) protagonizaram "Terra Nostra" Imagem: Divulgação/Globo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/06/2021 15h18Atualizada em 28/06/2021 15h19

Thiago Lacerda recordou a sua escalação para a novela "Terra Nostra", escrita por Benedito Ruy Barbosa, que o alçou ao estrelado no começo dos anos 2000. Ele também falou sobre a sua surpresa quando soube que iria contracenar com Ana Paula Arósio.

"Eu ouvi nos corredores da novela que a Globo estava preparando a 'novela do século': o grande encontro do Benedito Ruy Barbosa com o Jayme Monjardim, de novo, vindo do sucesso que tinha sido 'Pantanal' anos antes. E tinha Ana Paula Arósio, Raul Cortez, Antonio Fagundes... Esse era o elenco que eles tinham, e o que a gente ouvia era que seria incrível, uma novela épica, com três fases, a imigração italiana para o Brasil. Uma história por que eu comecei a me interessar", explicou para o podcast "Efeito Tsunami".

"O fato é que eu estava saindo do estúdio (na época, ele trabalhava na novela "Pecado Capital") e falei: 'Cara, e se eu fosse lá me informar um pouquinho mais, né?" E voltei. Comecei a perguntar onde era a produção. Bati na porta e, quando abri, as pessoas estavam de mudança, chegando, levantando a novela, um momento bem inicial de tudo, mas eu já sabia que eles estavam escalando", prosseguiu.

Aí eu: 'Boa tarde, por favor a produtora de elenco?'. Aí uma moça carregando uma caixa botou a caixa na mesa e falou: "Ah, sou eu'. (Eu disse) 'Muito prazer. Eu sou o Thiago, faço a novela das seis. Fiquei sabendo e queria fazer um teste. E ela disse: 'Ah, eu já falei de você para o Jayme Monjardim'. E eu: "Ah, que legal!'.

Thiago relembrou o choque quando soube, pela produtora de elenco, que estava sendo cogitado para ser o par de Ana Paula Arósio, com quem já trabalhara em "Hilda Furacão".

"Eu pensei: 'Ah, peraí. Não precisa tanto!'. Mas eu mantive a pose e falei: 'Ah, que bom. Que legal. Enfim, peguei as informações sobre o teste, e Mariana Lobo, produtora que virou minha amiga depois, me contou que naquele dia quando eu saí de lá ela ligou para o Jayme e falou: 'Sabe aquele cara de quem eu já te falei, o Thiago? Ele esteve aqui e pediu para fazer o teste. Achei legal'", relembrou.

Geração da pandemia

No podcast, Thiago também falou sobre o último ano, que passou em isolamento social ao lado da família. Segundo ele, os filhos sofreram com a falta de contato com os amigos.

"É terrível. Acho que a gente vai viver o eco de uma geração da pandemia, que viveu essa pandemia, essa privação do contato humano, do contato físico, do afeto, da aproximação, da troca, mesmo com o ambiente escolar e com o andamento natural das coisas a partir das relações humanas. Acho que essa geração vai sofrer esse impacto", declarou.

No nosso caso, a gente tem uma relação de muito privilégio. Estava falando isso hoje com uma amiga, de a gente estar vivendo conscientemente essa condição de privilégio num país tão desigual, abandonado, perverso. A gente está nesta condição de ter um refúgio. Estou fora do Rio desde março do ano passado. Nesse tempo todo, fiquei no Rio 12 dias no máximo. Fiquei dividindo a pandemia entre minha casa na Serra (Fluminense) e nossa casa na Bahia.

"É uma condição de muito privilégio que proporcionou aos filhos um contato constante com a natureza, com os animais. A gente gosta muito da natureza. Eles tiveram uma convivência intensa conosco, mas nessa situação de privilégio com a natureza. Fico todos os dias imaginando a dureza da realidade do nosso povo nessa situação impensável de pandemia, especialmente com esse desgoverno", protestou.