PUBLICIDADE
Topo

Público lembra polêmica de Boris Casoy com garis após fala sobre Bolsonaro

Boris Casoy explicou por que defendeu a ditadura na época do golpe de 64, e disse que Bolsonaro tem "virtudes" anuladas por negacionismo - Reprodução Youtube
Boris Casoy explicou por que defendeu a ditadura na época do golpe de 64, e disse que Bolsonaro tem 'virtudes' anuladas por negacionismo Imagem: Reprodução Youtube

Do UOL, em São Paulo

20/07/2021 13h42

Em entrevista ao "Conversa com Bial", o jornalista Boris Casoy explicou por que apoiou a ditadura na época do golpe militar e disse acreditar que o negacionismo de Jair Bolsonaro (sem partido) em relação às vacinas contra covid-19 anula as "virtudes" do presidente.

Em resposta, parte dos espectadores relembraram uma fala polêmica de Casoy em 2009, quando uma falha técnica levou ao ar um áudio do jornalista ofendendo dois garis.

O caso aconteceu na noite de ano novo de 31 de dezembro de 2009, quando os varredores José Domingos de Melo e Francisco Gabriel de Lima apareceram em uma vinheta da Band desejando feliz Natal. No áudio vazado logo após a exibição do vídeo, Boris Casoy diz: "Que m*rda, dois lixeiros desejando felicidades do alto das suas vassouras. O mais baixo na escala do trabalho".

No dia seguinte, quando o vídeo já tinha milhares de visualizações na internet, Boris se retratou sobre o comentário que definiu como "uma frase infeliz". "Peço profundas desculpas aos garis e a todos os telespectadores", afirmou o apresentador. Em 2013, o âncora foi condenado pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) a pagar R$ 21 mil ao varredor, mas o valor atualizado e corrigido chegou a R$ 60 mil.

No entanto, muitos espectadores não esqueceram o episódio: "Depois do episódio dos garis, jamais esperei mais nada desse senhor que muito admirava!"

"Se eu estivesse acordada na hora da entrevista de Boris Casoy, daria uma varrida aqui em casa, para assisti-lo do alto da minha vassoura."

Alguns identificaram semelhanças entre a justificativa de Boris Casoy para ter apoiado a ditadura militar e o discurso feito hoje por parte da população: "Parece até um discurso atual, do cidadão de bem".