PUBLICIDADE
Topo

Chamado de 'bundão', Diabão critica Caveira: 'Me usou de trampolim'

Fernando Franco Oliveira, o Caveira (esquerda), e Michel Praddo, o Diabão - Reprodução/Montagem UOL
Fernando Franco Oliveira, o Caveira (esquerda), e Michel Praddo, o Diabão Imagem: Reprodução/Montagem UOL

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

24/07/2021 13h06Atualizada em 24/07/2021 13h06

Existe uma briga no universo da modificação corporal. Fernando Franco de Olivera, conhecido como Caveira, se orgulha de ser o homem mais tatuado do Brasil e de ter feito uma série de modificações, como ter tirado o nariz. Na visão dele, isso o diferencia de Michel Praddo, conhecido como o Diabão de Praia Grande, outra figura que mudou drasticamente seu corpo, ganhando chifres e cortando um dos dedos. Quando um é questionado sobre o outro, fica claro que eles não se gostam nem um pouco.

A questão é que cada um vê a situação de uma maneira. Para Caveira, foi o Diabão que começou a falar mal dele, o que o teria deixado irritado. Já o Diabão frisa que ajudou o colega no passado, e que ele criou um conflito para se destacar na mídia.

"Ele tem aquela aparência dele lá, mas, se você olhar atrás na cabeça dele, não tem tatuagem. Para mim, isso não conta. Eu estou acima, tenho meu certificado no ranking, tenho o corpo inteiro tatuado, as modificações que ele fez, também fiz", disse Caveira ao UOL. Na mesma entrevista, ele chegou a se referir ao desafeto como "bundão".

Ele ficou com ciúmes de mim, começou a falar um monte de besteira de mim. Tenho certeza. Chegou a fazer vídeos falando de mim, por causa de ciúmes. Ele tem medo de agulhas, de fazer tatuagem, é um bundão. Eu me garanto"

"Vou colocar mais implantes de chifres na cabeça, tatuagens que cortam a pele e deixam cicatrizes. Não vou parar, para a alegria do Diabão", provocou.

A resposta

Procurado pela reportagem, Diabão confirma que os dois têm uma inimizade e afirma que ele tentou ajudar Caveira no mundo da modificação corporal.

"Se eu tivesse inveja não teria colocado contatos para ele fazer modificação, não teria arrumado contato e pedido desconto para a minha dentista para ele. Do nada ele começou a me ofender e a falar mal, porque me via como competidor", afirma ele.

Praddo também acredita que Oliveira seria movido por uma vontade de aparecer mais na mídia.

Eu não tenho por que ter inveja dele. Ele quis me usar como trampolim para entrar na mídia. O importante não é isso, é viver a vida. Não estou nessa parada de ego"

Diabão também acredita que o rival faça mal ao mundo da modificação. Segundo ele, Caveira já fez declarações que expuseram pessoas do meio, como relatar episódios em que chegou a ter infecção em decorrência de algum procedimento.

"Isso aí prejudica as pessoas. A gente já sofre um monte de preconceito. Aí passar por isso com uma pessoa que se diz desse meio, dessa cultura. É uma pessoa egoísta, que só pensa nela", enfatiza Michel.

Só dar uma olhada no nível de live, de vídeo, que você que o cara não tem conteúdo nenhum. Ele quer like, visibilidade. Existe a modificação externar e a interna. É notório que ele é uma pessoa que fez grandes modificações, só que por dentro é uma pessoa extremamente vazia"