PUBLICIDADE
Topo

Polícia encerra show com Israel Novaes em MT por aglomeração e som alto

Polícia encerra evento com Israel Novaes por aglomeração na cidade de Sinop, em Mato Grosso - Divulgação/Polícia Militar do Mato Grosso
Polícia encerra evento com Israel Novaes por aglomeração na cidade de Sinop, em Mato Grosso Imagem: Divulgação/Polícia Militar do Mato Grosso

Do UOL, em São Paulo

25/07/2021 19h54Atualizada em 25/07/2021 20h18

A Polícia Militar interrompeu ontem evento com o cantor Israel Novaes num bar de Sinop, cidade do Mato Grosso, por descumprimento das medidas sanitárias contra a covid e poluição sonora. Na mesma noite, foram fechados outros dois estabelecimentos.

Vídeos publicados nas redes sociais mostram o momento em que a Polícia Militar encerra o evento enquanto frequentadores gritam: "Eu não vou embora". Não há distanciamento social no local e poucas pessoas usam a máscara de proteção facial.

Segundo a Polícia Militar, aparelhos de som foram apreendidos e os proprietários dos bares encaminhados à Central de Flagrantes.

Procurado pelo UOL, a equipe de Israel Novaes disse que o evento estava autorizado e que "apenas cumpria o combinado".

No post de divulgação do show do cantor, o Taman Bar afirmava estar trabalhando com 50% de sua capacidade de ocupação e ressaltava que o uso da máscara era obrigatório. Ao UOL, o estabelecimento afirmou que sempre foi comprometido com o cumprimento das regras de controle da disseminação da covid "dispondo de máscaras na entrada para os clientes sem custo, álcool gel nas mesas e demais áreas comuns, além de informativos em todas as mesas".

O Taman Bar também disse que o cantor Israel Novaes não realizava um show, e sim uma participação juntamente a outro artista local. O estabelecimento também defende que a aferição do volume de som não foi realizada da forma correta.

"Existem pontos críticos no estabelecimento em que fatores externos como os outros bares influenciam no volume do som. Aferir nesses pontos é responsabilizar a empresa pelo ruído alheio", declarou o advogado do Taman Bar, Carlos Melgar.