PUBLICIDADE
Topo

Namorado de modelo brasileira morta no Chile não foi ao enterro, diz amiga

A modelo Nayara Vit e o namorado, o executivo Rodrigo del Valle Mijac - Reprodução/Instagram
A modelo Nayara Vit e o namorado, o executivo Rodrigo del Valle Mijac Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, no Rio

25/07/2021 17h18

O namorado da modelo Nayara Vit, que morreu aos 33 anos em Santiago, Chile, após cair do 12º andar de um prédio residencial, não compareceu ao velório, segundo a amiga de Nayara, Marcela Bakit.

Em entrevista ao programa chileno "Contigo En La Mañana", Bakit afirmou ter estranhado a ausência e a frieza do executivo Rodrigo del Valle Mijac no momento:

Sei que temos que ter bastante cuidado de atribuir algo a alguém durante uma investigação, mas achei bastante estranho não comparecer ao funeral de sua companheira. Ele não apareceu, não vi flores. É triste porque ela estava cega por essa pessoa.

Bakit ainda comentou a importância de encontrar o celular da modelo, que desapareceu, e contestou a versão de que ela teria problemas psicológicos, o que a teria levado a cometer suicídio.

"Foi bastante estranho ouvir que ela estava deprimida, doente, que tinha problemas. Eu não tinha conhecimento disso. [...] Para quem a conhecia e a amava, isso não bate, não combina com ela", disse a amiga.

A família da modelo lamentou não ter podido comparecer à cerimônia por não ter conseguido autorização do governo chileno, devido às restrições impostas pelo país diante da pandemia do novo coronavírus.

"15 dias! Eu sei que ela já está nos braços do Pai. Mas enterrá-la à distância foi doloroso demais. Sua estrela brilha e queremos justiça por amor a Nay!", escreveu Eliana Vit, mãe de Nayara.

Entenda o caso

A família da modelo questiona a versão de que ela teria se jogado do 12º andar do prédio onde morava. Em entrevista ao UOL, a mãe de Nayara, Eliane Vit, afirmou que desconfia que o caso possa ser enquadrado como um feminicídio.

Ela apontou que gritos ouvidos pela babá, o barulho de um vaso se quebrando, duas limpezas feitas no apartamento e móveis trocados são algumas das divergências do caso, que antes era investigado como suicídio.

A modelo chegou ao país em 2005 e ficou conhecida nacionalmente após participar do programa "Toc Show", em 2015. Ela estava com o namorado no dia da morte.

Omar Merida, promotor envolvido na investigação, afirmou que "inconsistências" em depoimentos indicam hipóteses diferentes de suicídio no caso. O caso passou a ser investigado pelo Departamento de Homicídios do Chile.