PUBLICIDADE
Topo

Editora Record não renova contrato com Olavo de Carvalho

Olavo de Carvalho tinha dois livros pela editore; diretor-executivo fala "péssima convivência" com ideais diferentes - Reprodução/Youtube
Olavo de Carvalho tinha dois livros pela editore; diretor-executivo fala 'péssima convivência' com ideais diferentes Imagem: Reprodução/Youtube

Do UOL, em São Paulo

29/07/2021 14h56

O Grupo Editorial Record decidiu não renovar o contrato de dois livros do guru da família Bolsonaro, Olavo de Carvalho. O escritor publicou as obras "O imbecil coletivo" (1996 e 2018) e "O mínimo que você precisa para não ser um idiota" (2013) através da marca.

Ontem, o UOL revelou que Olavo rendeu mais de R$ 11 milhões em lucro para a empresa.

Em comunicado ao UOL, a editora afirmou que as datas de vencimento ocorreram em setembro do ano passado e em junho deste ano. A editora não comentou se a decisão é devido ao comportamento antidemocrático de Olavo de Carvalho, como citado por Rodrigo Lacerda, editor-executivo, ao jornal O Globo.

O Grupo, que completa oito décadas em 2022, segue publicando autores que representam as mais variadas correntes de pensamento, tanto do campo conservador quanto do progressista, com a convicção de que desta forma contribui para o debate público. A pluralidade e o incentivo ao debate de ideias são compromissos que norteiam e seguirão norteando as decisões editoriais da Record. Grupo Editorial Record

Olavo de Carvalho não faz mais parte da equipe de escritores da Editora Record desde o primeiro semestre de 2019.

Em entrevista ao O Globo, Rodrigo Lacerda disse que Olavo não mantinha boa convivência com ideias discordantes da dele, o que vai contra a orientação do grupo de respeitar a diversidade de posicionamentos.

Temos vozes de todas as colorações políticas lá dentro, desde Paulo Freire até intelectuais liberais brasileiros e estrangeiros. A gente zela pela pluralidade das vozes e espera que os nossos autores também zelem por isso, ainda que com diferentes colorações políticas.O importante é que todos sejam democráticos em seus modos de atuar. A editora pede aos seus autores que tenham o espírito democrático de conviver com vozes diferentes. O posicionamento do Olavo hoje é de uma convivência péssima com as vozes discordantes, para dizer o mínimo. Rodrigo Lacerda

O diretor-executivo acredita que a decisão vai contribuir "ara o momento político brasileiro".

Considerado "guru bolsonarista", Olavo de Carvalho costuma criticas e ataques por publicações feitas nas redes sociais. Recentemente, ele foi condenado a indenizar o ex-deputado federal Jean Wyllys (PT) em R$ 25 mil por danos morais.

Olavo de Carvalho recebeu alta do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da USP ontem. Ele precisou fazer um cateterismo de emergência.

Cinco dias antes, Olavo deu entrada no setor de emergência do hospital com falta de ar intensa.