"Nunca gostei de ser galã"

Otaviano Costa fala do poder do cabelo branco, da relação com Flávia Alessandra e de seus projetos fora da TV

Leo Dias Colunista do UOL
Divulgação/TV Globo

"Foi uma loucura na minha vida!" Assim Otaviano Costa descreve a transformação pela qual passou quando decidiu assumir os fios bracos. Segundo ele, o cabelo grisalho gerou encantamento nas mulheres, o que ele encarou com estranheza. "Confesso que nunca gostei da figura do galã, do bonito. Nunca me dei bem."

Fora da televisão desde que saiu da Globo, em abril, o ator de formação e comunicador de nascimento, como ele próprio se define, vem trabalhando em projetos independentes. Sua carreira vem num crescente contínuo, resultado de sua inquietude. Otaviano não tem medo de se arriscar, de tentar o novo, o incerto. Sempre foi assim.

Enquanto muitos se acomodam, ele insiste no movimento. E é sobre isso a entrevista a seguir: o que aconteceu nessa saída da emissora e qual é o caminho que ele já começou a trilhar. "Vídeo Show" e "Tá brincando", seus últimos projetos, foram debatidos abertamente nesta conversa. E, lógico, o nome da concorrente Fabíola Reipert, da Record, foi lembrado. Por ele. "Acho maravilhosa a concorrência, é fundamental."

Ele falou, ainda, sobre a relação com a mulher, a atriz Flávia Alessandra, e comemorou: "Que bom que minha mulher é inteligente e forte".

Ouça a íntegra da conversa com Otaviano Costa no podcast UOL Entrevista. A entrevista completa em vídeo com o cantor está disponível no canal do YouTube do UOL.

Curtiu? Compartilhe.

Topo