PUBLICIDADE
Topo

BBB 20: No amor e no jogo, Guilherme é guiado pela falta de coragem

"Amigos de trabalho, a gente sempre foi / Ralando o dia inteiro, um choppinho depois" - Reprodução/Globo
"Amigos de trabalho, a gente sempre foi / Ralando o dia inteiro, um choppinho depois" Imagem: Reprodução/Globo
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Colunista do UOL

19/02/2020 21h27

Toda semana no BBB é assim: eis que chega a roda viva e carrega o destino pra lá. Com Lucas Bozena eliminado (sem recorde!), as histórias da casa voltam a se reorganizar para um novo ciclo.

Vamos ver como está a cotação dos brothers em mais uma semana de confinamento na casa mais vigiada de Curicica.

> EM ALTA

Prior: A gangue dos birutas foi demolida. Sem a presença de Hadbala e Lucas Bozena, o Felipera Trainspotting agora terá espaço para colocar o carisma de pinscher raivoso para trabalhar a seu favor. Claro que a dificuldade para concatenar ideias pode se apresentar como um relevante desafio, mas agora ele tem uma narrativa ótima —está sendo perseguido pelo Bloco Hegemônico que se formou após a entrada dos deslumbrados da casa de vidro. Até pelo talento para criar bravatas sem nexo, Prior é um dos principais protagonistas da temporada.

Gabi: A cantora já era uma figura muito forte, embora pouco interessante. Veja bem, a mistura de loira odonto com sertanejo universitário parecia irresistível. Mas somar à equação um par de chifres em rede nacional é algo quase imbatível. Por mais que o relacionamento de Guilherme com Boca Rosa ainda esteja mais nas intenções do que nos finalmentes, é inegável que Gabi está sobrando.

Thelma: Enfrentou o mais revoltante dos integrantes do Asilo Arkham, o pouco saudoso Lucas Bozena. E ainda fez render bastante os efeitos nocivos da crise das estalecas, reclamando de fome na última terça-feira. Com uma visão aguçada do jogo e ótima percepção a respeito dos colegas, Thelma cresce entre os observadores mais argutos, mas ainda precisa se mostrar mais para ganhar espaço nas edições da Globo.

Babu: Parece bobagem, e é mesmo, mas a discussão por conta de comida garantiu um espaço premium para Babu na narrativa do BBB. Não sei se o Tim Maia brasileiro calculou dessa forma, mas conseguiu expor o tom debochado das fadas sensatas e se colocou no lugar de perseguido. É um bom lugar para ocupar no BBB.

Boca Rosa: É vacilona, e justamente por isso gostamos tanto. Consegue misturar momentos de completa ausência de critérios com apontamentos muito espirituosos sobre a situação da casa. A personagem mais interessante até agora.

> EM BANHO-MARIA

Rafa: É comedida demais para esse tipo de programa. Existe ali uma vontade inegável de tretar com Boca Rosa, mas a história não anda por pura falta de disposição da Rafa. Prefere continuar investindo no papel de conciliadora ungida. Uma pena.

Gizelly: É o que Lulu Santos chamaria de mola encolhida. Existe potencial e até mesmo um fiapo de história. Mas investe muito mal seu tempo e energia. Não consegue romper a barreira da coadjuvante de luxo de um núcleo que interessa cada vez menos.

Flayslane: É um alívio cômico que às vezes me dá vontade de chorar.

Ivy: Por ter entrado mais tarde, está muito consciente de que encontra-se em um reality show. Não conseguiu fazer nada além de dedurar os planos cretinos dos homens. Ou seja, ainda não passou de uma mera ferramenta narrativa.

> EM QUEDA

Manu: Está narrando uma história que não ocorre dentro da casa. Quando precisa interagir com as coisas do confinamento, age com soberba e deboche. É uma personagem muito interessante, mas já não sustenta o mesmo encantamento das primeiras semanas.

Guilherme: É o maior vacilão da temporada. Colocou os parceiros no fogo para tentar ficar bem com o público. Mas se esquece que todo mundo consegue ver o que ele está fazendo. Trata-se de um caso curioso: no amor e no jogo, sua única força motriz parece ser justamente a covardia. Gostaria de se envolver com Boca Rosa, mas não tem coragem. Também gostaria de ter a amizade dos birutas, mas desistiu por conta das informações externas.

Marcela: Vinha tão bem, mas descambou. Todas as histórias relevantes nas quais estava envolvida já chegaram ao fim. Sobrou apenas o affair esquisitíssimo com o Daniel Salsicha Orgastic. É muito pouco.

> EM DESGRAÇA

Mari: Quem se importa com Mari Baianinha a essa altura do campeonato? Não conseguiu pegar pelo pé nenhuma das boas histórias que circulavam ao seu redor. Preferiu fazer cara de paisagem. Está desperdiçando uma vaga importante no BBB 20.

Pyong: Depois do papelão na festa da semana passada, fez um recuo estratégico. É inteligente e manipulador, mas talvez um pouco demais para seu próprio bem. Por falar apenas de jogo, não sei se conseguirá manter o interesse do público em alta.

Victor Hugo: Queria muito virar meme, e até conseguiu. Mas provou que possui uma eloquente rejeição no último paredão, quando foi capaz de ter votação expressiva em disputa contra o cara que fez a Thelma passar fome.

Daniel: Parece ser o elemento fundamental para quebrar o Bloco Hegemônico. Desde que entrou para a turma, as críticas ao outro lado ficaram bem mais pesadas, podendo passar a impressão de que os vilões são as fadas sensatas. Ainda está jogando com a cabeça nos cartazes do shopping, mas as coisas mudam rápido em Curicica.

***

E essas foram minhas humildes opiniões. Se não gostar, semana que vem tem outras.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Chico Barney