PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Confusão toma conta das ruas de Copacabana após Bloco da Favorita

Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

12/01/2020 22h24

Resumo da notícia

  • Evento, que aconteceu no mesmo palco que o Réveillon, marcou a abertura oficial do Carnaval carioca
  • Pouco mais de uma hora após o fim, a polícia tentava disperçar os foliões, que seguiam na areia
  • Segundo relatos, bombas de gás lacrimogêneo foram utilizadas
  • O público respondeu atirando garrafas
  • Os hóspedes do Hotel Copacabana Palace, em frente ao palco, se assustaram com o ocorrido; um teria sido atingido

No palco do Bloco da Favorita, que tomou conta da estrutura montada para o Réveillon da Praia de Copacabana neste domingo (12), teve MC Marcinho, Preta Gil, Letícia Lima, Thaila Ayala, Sheron Menezzes, Josie Pessoa, Ellen Jabour, Maria Joana e Camila Queiroz, entre outros famosos.

Porém, uma confusão tomou conta das ruas do bairro após o encerramento do evento. Cerca de 1h10 após o fim da festa, segundo relatos, a Guarda Municipal tentou dispersar o público que ainda estava nas areias. Em meio ao gás lacrimogêneo, garrafas foram jogadas pelos foliões e até um hóspede do Copacabana Palace teria sido atingido enquanto aproveitava a piscina do estabelecimento.

Hóspedes e visitantes que estavam no hotel Copacabana Palace, que fica em frente ao palco onde ocorreu o evento, também se assustaram com as bombas de efeito moral. A Coluna Leo Dias recebeu relatos que os salões do local precisaram ser abertos de forma emergencial e mulheres chegaram a passar mal com o efeito do gás. Um hóspede que se divertia na piscina do hotel foi atingido por uma garrafa arremessada por um folião durante a confusão.

O Bloco da favorita enfrentou uma batalha judicial para desfilar neste domingo e chegou até a ser vetado pela polícia. A Associação de moradores de Copacabana era contra o evento no bairro. Mas a festa comandada pela promoter e relações públicas Carol Sampaio cumpriu as exigências e conseguiu levar o funk característico do evento para as areias. Procurada, a assessoria de imprensa de Carol Sampaio disse que durante o evento tudo ocorreu bem e a confusão aconteceu mais de uma horas após o fim do bloco. A Riotur também destacou que a correria começou na dispersão do evento.

"O evento de abertura do Carnaval Rio 2020 aconteceu dentro do horário previsto, com início às 13h e fim às 17h59, e cumpriu todas as exigências. O público presente correspondeu à expectativa e reuniu 300 mil pessoas. Foi uma festa linda, com muita alegria, sem intercorrências. Os problemas aconteceram durante a dispersão do público, 1h13 após o fim do evento", disse a empresa de turismo do município do Rio.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Leo Dias