PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Leo Dias

Após demissões por racismo na Record Brasília, diretor regional é trocado

Reprodução
Imagem: Reprodução
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

11/03/2020 17h33

O diretor de jornalismo da Record em Brasília foi substituído após quatro jornalistas da emissora na capital terem sido demitidas na última segunda-feira (09). As profissionais foram desligadas da empresa depois que o blog "Mundo Negro" divulgou conversas com cunho considerado racista de um grupo de WhatsApp no qual as profissionais faziam parte.

A Record TV anunciou no início da tarde desta quarta-feira (11) que as redações de jornalismo da televisão, da internet e do portal R7 terão comando único, que será assumido por Thiago Contreira, diretor de conteúdo do jornalismo. Por causa disso, Domingos Fraga, que estava na direção do portal R7, é o novo diretor de jornalismo de Brasília.

O vice-presidente de Jornalismo da Record TV Antonio Guerreiro diz que esta é uma forma natural para desenvolver a produção jornalística.

"O jornalismo da Record TV tem vocação multiplataforma. A unificação das redações é um caminho natural na evolução da integração de conteúdo e visa a ampliação do alcance do trabalho de nossos jornalistas nos mais diversos meios reforçando a credibilidade que é a marca de nosso jornalismo", explica ele.

Jornalistas demitidas

As quatro jornalistas faziam parte de um grupo no WhatsApp chamado "Resistência" e trocavam mensagem fazendo comentários maldosos sobre a aparência de colegas negros da redação. Num dos textos, uma das repórteres chega a comparar os lábios da vítima com ânus e outra chama uma colega negra de "Patolino", o pato preto da animação "Looney Tunes".

As quatro foram demitidas na última segunda-feira após a polêmica se tornar pública. Uma delas, segundo colegas, não fazia comentários na troca de mensagens mas acabou sendo demitida por integrar o grupo. De acordo com a apuração da Coluna, o clima na redação ficou tenso após as demissões, e o assunto se tornou o mais falado entre colegas jornalista.

Procurado pela Coluna do Leo Dias para comentar as demissões, a assessoria de imprensa da Record não se manifestou. O espaço segue aberto caso a emissora queira se posicionar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Leo Dias