PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Iza está sofrendo da 'síndrome do primeiro milhão'

Iza - Reprodução/Instagram
Iza Imagem: Reprodução/Instagram
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

17/03/2020 09h15

Eu me lembro como se fosse hoje. Em 2016, eu vi o vídeo da Iza no Instagram do Hugo Gloss e decidi fazer a primeira reportagem sobre a jovem estudante da PUC, no então jornal O Dia. Um ano depois, recebi Iza, que já havia estourado com "Pesadão" em um programa que eu fazia na rádio MIX FM, no Rio. Na ocasião, ela mostrou a vasta cultura geral, a bela maneira prolixa de falar, o que a diferencia muito dos demais. Iza tem muito conteúdo. E está pronta.

Só que de lá pra cá, Iza foi colocada em uma redoma de vidro. Ficou intocável, inacessível. Sinceramente eu não sei qual é a estratégia de seu empresário e porque a Warner Music não intervém. No CarnaUOL, que aconteceu em São Paulo, ela foi a única a não dar entrevistas (nem mesmo para o UOL, que bancava a festa), com o argumento de que estava resfriada. Quem somos nós para duvidar da saúde da moça, mas no palco, sua voz continuava excepcional.

Nos programas de TV é sabido que a equipe que dá mais trabalho é a de Iza, superando Anitta, Ludmilla e até Ivete. São tantas exigências que os produtores brigam para não cuidar dela.

A Coluna Leo Dias foi atrás, então, de especialistas do mercado para entender o que se passa com Iza, que, na TV, parece uma que-ri-da. O que eu mais ouvi foi que Iza está sofrendo a "síndrome do primeiro milhão". A equipe que cerca a cantora tem a certeza absoluta de que trata-se da futura Adele.

Iza nunca aceitou fazer festas gays. Pablo Falcão, dono da famosa Chá da Alice, fez e ofereceu de tudo. Mas só ouviu não. Mas Rafael Rossato, o empresário da cantora, considerava que, aceitando os convites, ela se tornaria segmentada. Na verdade, ele queria criar um produto comercial impecável e nada vulgar. Em 2019, Iza se vangloriava na "Veja" de não ser do estilo "cachorrona" e dizia que quase não tinha haters. A estratégia, se era faturar, deu certo. Iza fechou um contrato gigante com a OLX de 2 milhões de reais.

Mas as coisas começaram a dar errado. Iza foi a única cantora pop que não emplacou nenhum sucesso nesse verão. Nem mesmo com o pesado investimento da gravadora que levou a equipe toda dela para Los Angeles para gravar com Ciara. A música foi um fracasso retumbante.

O Carnaval, então, nem se fala. Ela não deu as caras na Imperatriz, não interagiu com nenhum membro da escola, de presidente a carnavalesco (ritmistas, nem pensar) tudo era através de seu escritório. O distanciamento de Iza da sua realidade é cada dia maior. Iza foi a única cantora pop que não participou de nenhum bloco de Carnaval. Em nenhuma cidade do Brasil. Ela não faz o chamado "network" com outros cantores. Com Iza não há camaradagem nem troca de favores. Anitta, por exemplo, é mestra nisso. E todo esse direcionamento elitista de Iza é muito triste.

O discurso é engajado e impecável mas na prática é uma grande articulação para faturar alto. O acesso a Iza é cada vez mais difícil. Não dá entrevistas, sua assessora é a famosa anotadora de recados e sua única prioridade parece ser a Globo. Tudo bem que ela faz parte da equipe do The Voice, tem aquele período que precisa priorizar a Globo, mas Iza, um conselho: o mundo gira muito rápido e ninguém sabe o dia de amanhã. Lembre-se sempre de Olaria, subúrbio do Rio, onde tudo começou.

Leo Dias