PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Viúva de Chico Anysio diz que Silvio Santos ofereceu R$ 70 mi por sua obra

Chico Anysio e Silvio Santos - Arquivo Troféu Imprensa SBT
Chico Anysio e Silvio Santos Imagem: Arquivo Troféu Imprensa SBT
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

24/03/2020 17h18

Malga Di Paula, que viveu por 14 anos ao lado de Chico Anysio, resolveu se abrir com Antônia Fontenelle em entrevista exclusiva e participou do programa "Na Lata" - que foi ao ar ontem, segunda-feira, 23 de março, oito anos exatos após a morte do famoso humorista.

Além de falar sobre a anulação do testamento de Chico Anysio, fato recente revelado em primeira mão pela Coluna do Leo Dias, ela também contou que Silvio Santos chegou a oferecer R$ 70 milhões pela obra do humorista, e revela o motivo de não ter vendido.

"É verdade. Não vendi porque não era meu. Desde que o Chico morreu eu não consegui mais falar com todos os filhos", diz ela, que conta ainda: "O Chico mantinha toda sua obra digitalizada, mas ele tinha medo dessas coisas digitalizadas, então ele imprimia muitas coisas. Ele tinha dezenas e dezenas de cadernos impressos, com roteiros, programas de TV, tudo. Isso ocupava um monte de espaço no apartamento."

Problemas com Lug de Paula:

Ainda na entrevista, Malga fala sobre os problemas no testamento de Chico Anysio e revela que a relação de Chico com o filho, Lug de Paula, intérprete do personagem Seu Boneco, sempre foi conflituosa.

"Duas coisas que deram errado já quando o Chico tava vivo. Primeiro, que ele não ouviu o conselho dos amigos e meu também, para trocar de advogado. Ninguém confiava neste advogado. Segundo, o Chico escolheu este advogado para ser seu testamenteiro. Este senhor fez um testamento que é uma coisa absurda. Um estudante de Direito, do primeiro semestre, faria algo melhor. [...] Pra começar, ele deixou um filho fora da partida, o Lug", aponta Malga.

Ela fala sobre Lug de Paula:"Ele não foi nem no velório. Os irmãos ficaram muito chateados com isso. [...] Apesar desse relacionamento complicado, o Chico amava o Lug. Ele achava que o Lug era o filho mais talentoso que ele tinha."

Relação complicada com o irmão e abusos:

Por fim e bastante emocionada, Malga fala que o artista, que morreu aos 80 anos, sofreu todos os tipos de abuso em vida, incluindo abusos sexuais e espancamento por parte de seu irmão, Elano de Paula, morto em 2015.

"Vou dizer porque ele pediu que eu dissesse. Chico não conseguia falar sobre isso. Ele era espancado quase todos os dias, sofreu todos os tipos de abuso pelo irmão dele. Todos os tipos", contou Malga, bastante emocionada. Ela completa: "Para o Fantástico ele contou rapidamente sobre e disse que não queria falar quem era o 'general' daquele quartel. Ou seja: o irmão abusava e a mãe dele sabia."

Malga diz que foi Elano o responsável por diversas confusões na vida de Chico Anysio: "Ele que começou a confusão com os filhos, confusão com hospital, troca de médicos, abertura de testamentos, tudo era ele. Ele infernizou a vida do Chico até depois de morto. Graças a Deus ele foi embora."

A viúva responde ainda possíveis questões sobre a proximidade de Chico Anysio e Elano durante toda a vida, incluindo trabalhos feitos juntos, mesmo após tantos abusos: "O Chico me dizia que ficava perto do Elano porque queria dar a ele a oportunidade de pedir perdão. ' Por isso fico perto dele. Não é por mim, é por ele. Toda vez que falo com ele estou dando oportunidade para ele me pedir perdão', me dizia ele. Isso machucou o Chico por todos os dias da vida dele."

*Com colaboração de Lucas Pasin

A entrevista completa pode ser conferida no Youtube, no canal "Na Lata", de Antônia Fontenelle:

Leo Dias