PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Maior afiliada da Globo, RBS TV demite repórter veterana e corta salários

Guacira Merlin - Reprodução/TV Globo
Guacira Merlin Imagem: Reprodução/TV Globo
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

24/04/2020 14h13

O clima é de tensão no Grupo RBS nesta sexta-feira. O maior conglomerado de mídia do sul do país e responsável pela maior afiliada da Globo, a RBS TV, anunciou uma série de medidas para contenção de gastos. Dentre elas, está o corte de salários e a demissão de pratas de casa, como a repórter Guacira Merlin, que estava há duas décadas na emissora.

Mais de 20 profissionais foram desligados das redações do grupo, que controla uma emissora de televisão, seis rádios, dois jornais e quatro portais de assuntos diversos apenas na capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Além de Guacira Merlin, que era uma das principais repórteres da afiliada da Globo, outro rosto conhecido dos telespectadores foi demitido hoje. O ex-árbitro Márcio Chagas, comentarista dos telejornais locais e das transmissões do Campeonato Gaúcho, também foi desligado — ele estava na RBS TV desde 2014.

Como continuidade ao processo de redução de custos, a Coluna do Leo Dias apurou que diversos colaboradores foram chamados às pressas por seus gestores para readequação de salários e de jornada, conforme brecha deixada pela Medida Provisória 936. As reduções, porém, só serão feitas em setores deficitários.

Procurado pela reportagem, o departamento de Comunicação do Grupo RBS confirmou as demissões dos nomes citados no texto e que fará reajustes pontuais nos vencimentos de alguns colaboradores a partir de 1º de maio, conforme a medida aprovada pelo Governo Federal. A empresa também enviou a seguinte nota:

"A pandemia do coronavírus gerou uma crise mundial de proporções inéditas na história recente. O Grupo RBS, assim grande parte das empresas do Rio Grande do Sul, também está sofrendo seus impactos econômicos. Para minimizá-los, a empresa está adaptando sua operação ao momento atual e para estar preparada frente a um cenário ainda incerto. Todas as decisões têm como objetivo principal manter a sustentabilidade do seu propósito no longo prazo".

*Com colaboração de Gabriel de Oliveira

Leo Dias