PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Leo Dias

O pijama de Ivete sinaliza o que a nova TV irá mostrar a partir de agora

Ivete Sangalo de pijama em live - Reprodução/Multishow
Ivete Sangalo de pijama em live Imagem: Reprodução/Multishow
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

26/04/2020 11h24

Entendam uma coisa claramente: Ivete Sangalo é gênio. Ivete não se tornou Ivete à toa. E ela sinalizou na sua live deste sábado como a TV terá que agir quando tudo isso passar. Ivete deixou claro naquela transmissão que pensa um passo à frente de todos. Como sempre, ela estava saltitante e trouxe a alegria que o Brasil precisava. Mas o mais importante: ela trouxe a verdade.

De pijama, com a família, na cozinha de casa. Ivete não é do tipo que expõe a família, ela nunca usou de sua vida pessoal para ter sucesso, foram sempre a sua música e seu carisma que estiveram aparentes na TV. Mas ela traduziu ali, o que a nova televisão vai ter que seguir a partir de agora: a verdade. Tudo naquela live era simples, totalmente brasileiro e absolutamente de verdade.

O que é preciso entender: haverá uma retração na economia do Brasil quando isso passar, até mesmo a internet vai parar de crescer, por que para ter um 4G de qualidade, é preciso pagar, e o povo não terá dinheiro. Internet será menos acessível. TV, não. A TV terá uma grande oportunidade de crescer, mas será necessário dar um passo pra trás.

Vamos voltar ao ano 2000 ou, no máximo, 2010. O preço da publicidade na TV vai desabar. As cotas dos programas vão cair absurdamente, e as emissoras precisarão se adequar à realidade da internet. Por que? O público voltará com uma nova mentalidade, que, aliás, já vinha mudando, O público exigirá a realidade, 100%. Quem viver um personagem, não terá sobrevida. Quem for real, sim. O simples será bem-vindo. O erro estará absolutamente dentro do programável. O pijama da Ivete é o que a TV vai ter que mostrar a partir de agora.

Quando tudo voltar ao normal, o telespectador da TV terá um novo pensamento: o da internet. E a internet exige a realidade. É fundamental. O público não vai fazer mais questão da superprodução. Esse período de pandemia fez a internet dar um enorme salto em audiência. Calcula-se que neste momento a internet atingiu números o que só atingiria em 5 a 10 anos. Mas ela vai sofrer uma retração natural. Por que ela é paga. O Brasil vai ficar mais pobre e a TV terá alcance maior. Claro, se perceber que precisa dar um passo pra trás.

Não dá mais para o mercado publicitário trabalhar com esses atuais valores cobrados pelas grandes emissoras de TV. Já se vê afiliadas e retransmissoras de TV em situação emergencial por todo Brasil. As pequenas TVs dependem do comércio local, que simplesmente deixou de existir nas últimas semanas. Um novo Brasil vai surgir mais simples, mais verdadeiro, e quem continuar pensando de maneira gigante, vai quebrar a cara. A cabeça do consumidor voltará de maneira diferente e a TV precisa refletir esse pensamento. A TV precisará se portar como a nova Ivete Sangalo.

Siga o UOL no

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Leo Dias