PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Leo Dias

Em apenas duas horas, Globo ganhou mais dinheiro do que campeãs do 'BBB 20'

Ação do Facebook custou R$ 500 mil - Reprodução/TV Globo
Ação do Facebook custou R$ 500 mil Imagem: Reprodução/TV Globo
Blog do Leo Dias

Notícias exclusivas sobre o mundo das celebridades e os bastidores do show business no Brasil.

Colunista do UOL

28/04/2020 11h18

A médica anestesiologista Thelma Assis se consagrou como a grande campeã da 20ª temporada do Big Brother Brasil na noite desta segunda-feira (27) e levou R$ 1,5 milhão para casa. Mas quem realmente ganhou uma bolada foi a Globo: há anos a emissora não faturava tanto quanto ontem com apenas um programa.

O grande final do "BBB20" provocou uma fila de anunciantes interessados em um espaço comercial na tão aguardada noite decisiva do reality show. A procura foi tamanha que alguns anunciantes tiveram de se contentar com espaço apenas em algumas emissoras regionais.

A primeira ação publicitária foi justamente a mais ousada da noite: durante quatro minutos, o Facebook fez um merchandising na maior emissora da América Latina. E, acredite se quiser: poucos notaram a publicidade embutida no programa.

A Coluna do Leo Dias apurou que a rede social desembolsou R$ 500 mil para uma edição temática do "CAT BBB", quadro humorístico de Rafael Portugal. A bagatela foi recompensada com a citação dos grupos da rede social durante a esquete, além da presença discreta da logo da empresa em alguns momentos.

Nos intervalos comerciais, outra surpresa. A Globo abriu mão de uma antiga regra, que previa a não divulgação de seus concorrentes de forma alguma, e vendeu espaço em quatro intervalos para comerciais da Netflix, que produziu um trailer de suas produções para a ocasião.

A quebra da regra, porém, não foi em vão: a rival da Globoplay teve que pagar um valor 51% superior ao praticado com as demais empresas, que investiram R$ 484 mil em cada comercial de 30 segundos nos intervalos do Big Brother Brasil.

A Amazon Prime Vídeo, que deu um duro golpe no Grupo Globo ao contratar um de seus principais executivos da área digital, também tinha interesse no espaço, mas perdeu a disputa. A plataforma teve de se contentar com apenas um comercial fechando um dos intervalos da final, com veiculação de maneira regional.

Porém, na "hora H" da grande noite, no intervalo comercial que separou o anúncio da terceira colocada com o da grande campeã, a Globo não deu espaço para suas rivais e apostou em um extenso comercial da Globoplay, mesclando momentos icônicos do BBB com cenas de programas disponíveis na plataforma.

Uma fonte da Coluna do Leo Dias no alto escalão da emissora tratou a noite decisiva do Big Brother Brasil como uma versão tupiniquim do Superbowl, evento que concentra o maior investimento anual da televisão americana.

Apenas com as ações citadas neste texto, estima-se que a Globo faturou cerca de R$ 4 milhões em apenas duas horas de programa, com cinco intervalos comerciais. As três primeiras colocadas do Big Brother Brasil, somadas, tiveram premiação de R$ 1,7 milhão.

A emissora, porém, tem plena consciência de que tamanho feito dificilmente se repetirá. A ala comercial do Grupo Globo está ciente de que foi beneficiada pela soma de alto engajamento das redes sociais e dos recordes de audiência com um fator que não deve acontecer outra vez a curto prazo: a ausência de programas inéditos por conta de uma pandemia.

*Com colaboração de Gabriel de Oliveira

Leo Dias