PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Leo Dias

Nunca mais artistas do porte de Gusttavo Lima aparecerão de graça na TV

Gusttavo Lima - Divulgação
Gusttavo Lima Imagem: Divulgação
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

17/05/2020 19h46

Há alguns poucos anos, havia uma enorme dependência de artistas de música em relação à TV. Aparecer no "Domingão do Faustão", por exemplo, mudava radicalmente a carreira de artistas, do dia para noite. Ser uma das atrações do dominical da Globo gerava um enorme impacto na trajetória de um artista. Era possível observar uma mudança do tipo: "antes e depois de aparecer no Faustão" em número de execuções nas rádios, em valor de cachê e, óbvio, no número de shows por mês. Era tudo muito claro: os números não mentiam.

Recentemente, artistas conseguiram alcançar o sucesso sem passar pela TV. E isso começou a ser observado pelas gravadoras. Pela primeira vez, o "Domingão" começou a ouvir "não" de um artista. E empresários perceberam a pouca relevância que aparição na TV impactava a carreira de um cantor. Hoje em dia, ir a um programa de TV tem o seguinte efeito para um artista: movimenta suas redes sociais, gera empatia, principalmente junto às classes mais baixas e... só! Não muda mais a carreira de ninguém. Mesmo antes da pandemia, isso já era uma realidade.

A pandemia veio e fez com que a TV perdesse uma enorme relevância junto aos artistas de música, que ganharam muito poder. A pandemia impossibilitou, por exemplo, a gravação de um simples capítulo de novela, mas não impediu a transmissão ao vivo de um show. Neste momento, houve uma mudança significativa: quem passou a dar as cartas e a mandar no jogo passaram a ser os artistas e não mais as emissora de TV. O jogo virou.

Luan Santana é um caso raro de um artista que sempre deu muito valor à TV. Sempre. E não apenas à TV Globo, mas a todas as grandes emissoras de TV do país. Ele sempre dedicou muito tempo de seu trabalho aos programas de televisão. Mas a chegada da pandemia fez Luan mudar de atitude.

Não faz mais sentido um artista aparecer na TV neste momento sem dividir o lucro daquela aparição com a emissor. A relação mudou definitivamente: se tornou totalmente comercial. Os patrocinadores da TV hoje negociam diretamente com os artistas para a transmissão de suas lives. Agora os artistas sabem o impacto que eles geram no faturamento de uma TV. Por isso, chegou a hora de dividir os lucros. Ouso dizer que nunca mais artistas do porte de Gusttavo Lima aparecerão de graça na TV. Nunca mais. Hoje, eles sabem exatamente o valor deles na programação de uma emissora.

A Coluna do Leo Dias conversou com Gusttavo Lima para entender os detalhes da negociação dele com a Band, que transmitirá, na próxima sexta, sua quinta live. Gusttavo disse que esta negociação ficou a cargo de um dos diretores de seu escritório e que desconhecia os detalhes. Mas está claro que houve uma partilha de lucros. E outro fator relevante: Gusttavo dá um enorme valor às emissoras de rádio. Ele sabe que as classes mais populares jamais deixarão de dar valor ao veículo, e, neste caso, a Band FM tem grande relevância para a música sertaneja em São Paulo. Por isso, a negociação com a emissora se tornou bem mais fácil.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Leo Dias