Topo

Coluna

Ricardo Feltrin

Operadora "evangélica" de TV paga afunda com crise econômica

Fernando Donasci/Folhapress
pastor R.R. Soares Imagem: Fernando Donasci/Folhapress
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

04/10/2018 09h00

Se a crise econômica já está prejudicando as grandes operadoras de TV por assinatura do país, as pequenas então já estão no “bico do corvo”.

Os dados do setor em agosto, divulgados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) mostram que em um ano as pequenas já perderam --dependendo da empresa-- de 15% a 60% de sua base de clientes.

Somadas elas têm cerca de 500 mil assinantes.

Os dados de agosto da Anatel excluíram da conta a Nossa TV, criada pelo pastor evangélico R.R.Soares --que não enviou os números do mês.

Não é de admirar: só este ano a Nossa TV já perdeu 60% de seus assinantes. De 122,7 mil clientes em junho passou para 48 mil em julho. A queda deve ter prosseguido em agosto.

Não há uma explicação da Anatel para a retração, mas tudo indica que se trata de "ajuste de base" por inadimplência.

A Nossa TV é chamada de “operadora evangélica”, pois em seus pacotes não são disponibilizados canais que exibam conteúdo de violência, sexo ou uso de drogas legalizadas ou não.

R.R.Soares, cunhado de Edir Macedo, gosta de vendê-la como “A TV da família”.

LEIA MAIS

TV por assinatura perde mais de meio milhão de assinantes em 1 ano

Mais da metade dos brasileiros ouve rádio todo dia, diz Kantar Ibope

Colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops