Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


TV Brasil deve economizar R$ 42 milhões anuais com PDV; 257 aderiram

Divulgação
"O Show da Luna", desenho exibido pela TV Brasil Imagem: Divulgação
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

2018-12-11T10:08:00

11/12/2018 10h08

O segundo PDV (Plano de Demissão Voluntária) da TV Brasil terminou com a adesão de  257 funcionários.

Eles receberão todos os direitos trabalhistas, além de um incentivo financeiro equivalente a dois anos de salário. 

Segundo a direção da emissora, os desligamentos vão representar uma economia estimada em R$ 42,6 milhões anuais, o que significa que cada um dos demitidos custava, em média aos cofres públicos, cerca de de R$ 165,7 anuais.

 A EBC (Empresa Brasil de Comunicação) não informa quantos funcionários trabalham apenas na TV Brasil.

Ela informa ter no total 2.278 empregados (1.962 concursados). Diz que "há ainda empregados cedidos ou anistiados de outros órgãos e servidores da antiga Fundação Roquette Pinto.
 
O desligamento desses empregados vai ocorrer no próximo dia 17. Após ele a EBC diz que passará a ter 1.705 empregados.
 
Somado ao primeiro PDV (que terminou no começo do ano), os desligamentos vão economizar cerca de R$ 67 milhões/ano (14% da folha de pagamento).

A TV Brasil está no olho do furacão desde que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, anunciou o desejo de extinguir a emissora, que ele considera inútil.

A TV Brasil foi criada no final de 2007 no governo Lula, sob as mãos do ex-ministro das Comunicações Franklin Martins. De 2007 a 2016 seus resultados em audiência foram irrelevantes. Nos últimos dois anos, porém, a emissora começou a reagir

LEIA MAIS

Ainda pequena, TV Brasil reage e cresce 64% no ibope em dois anos

Ibope da TV Brasil cresce mais e já encosta na TV Cultura

Colunista Feltrin no Twitter, no Facebook ou no site Ooops