PUBLICIDADE
Topo

Nº de assinantes cai, mas tempo gasto com TV paga cresce no país

"Trato Feito", do The History Channel, um dos programas mais queridos da TV por assinatura - Reprodução
"Trato Feito", do The History Channel, um dos programas mais queridos da TV por assinatura Imagem: Reprodução
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

15/06/2019 06h30

Parece paradoxal, mas não é: nos últimos cinco anos a TV paga perdeu quase 3 milhões de assinantes, mas sua audiência não caiu. E seu consumo, pelo contrário, até cresceu.

Em 2014 o tempo diário ocupado pelo assinante com a TV paga era de 3h03min. Cinco anos depois o tempo passou para 3h23min --11% a mais.

No ano passado, esse índice era de 3h09 minutos.

Entre janeiro e maio deste ano a TV paga cresceu 5% na comparação com o mesmo período no ano passado. Se comparado com 2014, a subida foi de 18%.

Em outras palavras, mais gente está deixando de assinar TV paga, isso é fato, mas os clientes que tem essa mídia ainda dedicam a ela boas horas todos os dias.

Na comparação de primeiros trimestres, a audiência dos canais pagos cresceu 13% na comparação com o mesmo período em 2014.

Todos os dados acima se referem à medição nas 15 maiores regiões metropolitanas do país mensuradas pela Kantar Ibope Media, o chamado Painel Nacional de Televisão (PNT)..

É importante usar 2014 como fator de comparação porque foi o ano em que a TV por assinatura do Brasil beirou os 20 milhões de assinantes. Com o fracasso e o fiasco do Brasil na Copa em terra natal, desde então só houve queda no número de assinantes.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops

Ricardo Feltrin