Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Nº de assinantes cai, mas tempo gasto com TV paga cresce no país

"Trato Feito", do The History Channel, um dos programas mais queridos da TV por assinatura - Reprodução
"Trato Feito", do The History Channel, um dos programas mais queridos da TV por assinatura Imagem: Reprodução
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

15/06/2019 06h30

Parece paradoxal, mas não é: nos últimos cinco anos a TV paga perdeu quase 3 milhões de assinantes, mas sua audiência não caiu. E seu consumo, pelo contrário, até cresceu.

Em 2014 o tempo diário ocupado pelo assinante com a TV paga era de 3h03min. Cinco anos depois o tempo passou para 3h23min --11% a mais.

No ano passado, esse índice era de 3h09 minutos.

Entre janeiro e maio deste ano a TV paga cresceu 5% na comparação com o mesmo período no ano passado. Se comparado com 2014, a subida foi de 18%.

Em outras palavras, mais gente está deixando de assinar TV paga, isso é fato, mas os clientes que tem essa mídia ainda dedicam a ela boas horas todos os dias.

Na comparação de primeiros trimestres, a audiência dos canais pagos cresceu 13% na comparação com o mesmo período em 2014.

Todos os dados acima se referem à medição nas 15 maiores regiões metropolitanas do país mensuradas pela Kantar Ibope Media, o chamado Painel Nacional de Televisão (PNT)..

É importante usar 2014 como fator de comparação porque foi o ano em que a TV por assinatura do Brasil beirou os 20 milhões de assinantes. Com o fracasso e o fiasco do Brasil na Copa em terra natal, desde então só houve queda no número de assinantes.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops