Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Análise: Netflix tem 12,5 mi de assinantes no país e fatura "meia" Globo

Divulgação
Cena da série "It's Bruno", da Netflix, com o ator Solvan "Slick" Naim Imagem: Divulgação
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

2019-06-17T06:30:00

17/06/2019 06h30

Um estudo informal feito por dois especialistas, a pedido da coluna, aponta que o número de assinantes da Netflix pode ser muito maior do que as últimas estimativas.

A análise foi feita a partir de dados consolidados da empresa norte-americana de medição de tráfego na internet Comscore. Em abril, segundo a Comscore, a Netflix teve no Brasil 50,05 milhões de "unique visitors".

Ou seja, o serviço de streaming foi acessado por pelo menos 50 milhões de aparelhos (devices) ou IPs diferentes.

Na estimativa mais conservadora possível, os especialistas distribuíram esses 50 milhões de "visitors" apenas como sendo co-usuários de assinaturas premium (com 4 telas).

Sabemos que não é assim, mas como a Netflix não divulga números oficiais, a análise criou a "teoria da assinatura de 4 telas": ela mostra o mínimo possível de assinantes dentro do universo de "unique visitors" revelado pela Comscore.

Então, o "mínimo dos mínimos" de assinantes possíveis da Netflix no Brasil, diante de um resultado de 50 milhões de "unique visitors", seriam 12,5 milhões de assinaturas.

A coluna teve o apoio de dois especialistas (sendo um, matemático), mas ambos preferiram não ser identificados.

Quase "meia" Globo

Em dezembro, a última estimativa apontava que a Netflix teria cerca de 8,5 milhões de assinantes no país, e o faturamento passaria de R$ 1,4 bilhão anuais.

A nova estimativa, porém, mostra que a empresa, ou era muito maior, ou então disparou no último semestre --na aquisição de novos assinantes e, claro, também no faturamento.

12,5 milhões de assinaturas pagando em média R$ 30 mensais significam R$ 375 milhões mensais; ou seja, um faturamento anual de R$ 4,5 bilhões.

Esse montante representa praticamente "meia Globo".

A TV aberta e líder do Brasil no ano passado faturou --só a TV Globo, não o Grupo Globom certo?-- R$ 10,06 bilhões, segundo informou em março com exclusividade Daniel Castro, do site Notícias da TV.

Vale lembrar que, assim como Globo e outras emissoras, a Netflix também paga impostos como PIS, ISS e Cofins.

Seguindo essa tendência, a Netflix em breve também pode superar na base as duas maiores operadoras de TV paga do país somadas: Net Claro (8,3 milhões de assinantes) e Sky (5,12 milhões).

Outro lado

A coluna enviou algumas mensagens para a Netflix no Brasil, incluindo nelas os dados e a "metodologia" da estimativa que seria usada. Foi pedida uma posição (ou questionamento) da empresa a respeito.

A Netflix não quis se manifestar.

Outra possibilidade

Entre outras possibilidades além das aventadas neste texto há pelo menos mais uma que merece registro:

1) a possibilidade de assinaturas individuais da Netflix estarem sendo compartilhadas (entre amigos, por exemplo); e a empresa esteja fazendo "vistas grossas".

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops