PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Pandemia e sinal aberto fazem GloboNews disparar até 86% no ibope

Leilane Neubarth apresenta o "Edição das 18h" na GloboNews - Divulgação
Leilane Neubarth apresenta o "Edição das 18h" na GloboNews Imagem: Divulgação
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

17/03/2020 10h53

Os dados ainda são prévios e não consolidados pela Kantar Ibope (obtidos pela coluna), mas já mostram que que o público da TV paga interessado em jornalismo ainda prestigia a GloboNews.

Ao menos ontem, a cobertura da emissora noticiosa da Globo sobre a expansão da pandemia de coronavírus fez com que alguns telejornais da casa tivessem um aumento de público estimado em até 86%.

Um dos óbvios motivos é que a emissora liberou seu sinal na TV paga e na internet. No entanto, na TV paga a maioria absoluta dos cerca de 15,5 milhões de pacotes já "carrega" o sinal da GloboNews. Ou seja, a abertura de sinal é menos impactante.

No caso do telejornal matinal "Em Ponto", que vai ao ar das 6h às 9h de segunda a sexta, o público estimado passou de 71,3 mil pessoas.

Ancorado por José Roberto Burnier, teve um aumento de 86% em relação às segundas-feiras em janeiro e fevereiro deste ano.

O "Edição das 18h" também cresceu e atingiu 231,7 mil telespectadores —um aumento de 73% comparado aos meses anteriores.

O "Em Pauta" (20h às 22h) também foi muito bem: cresceu 57%.

O "Jornal das 10" também teve um incremento de 45% em relação à média do horário das segundas-feiras no 1º bimestre.

Os dados foram obtidos pela coluna junto a fontes nas emissoras. A Kantar Ibope Media, que faz essa medição, não pode contratualmente divulgá-los.

Líder isolada de audiência entre canais de notícia na TV paga, a GloboNews não teve um bom 2019, mas no início de 2020 já reagiu e melhorou sua audiência, tornando-se o sexto canal pago mais visto no país.

Com a estreia da concorrente CNN Brasil, a GloboNews fez novas mudanças em sua grade e já havia ampliado sua cobertura ao vivo. A pandemia a ampliou ainda mais.

Ricardo Feltrin