Topo

Televisão

Globosat compra séries "Chaves" e "Chapolin" e vai exibi-las no Multishow

Reprodução/Twitter
Multishow adquire direitos de exibição do seriado "Chaves" Imagem: Reprodução/Twitter

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

30/01/2018 11h47

Já pensou em ver "Chaves" na Globo? Isso provavelmente acontecerá neste ano, mas só na TV por assinatura. A Globosat firmou parceria com a rede mexicana Televisa e o Grupo Chespirito e comprou os direitos de exibição das séries, no ar há 33 anos pelo SBT. A estreia será no canal pago Multishow. Na TV aberta, "Chaves" continua na rede de Silvio Santos.

O Multishow confirmou ao UOL a compra de "episódios clássicos e inéditos" de "Chaves e Chapolin", com estreia prevista para o primeiro semestre de 2018, no horário nobre (entre 19h e 1h). A Globosat adquiriu os direitos de transmissão para TV paga, VOD (video on demand) e streaming, na plataforma do canal pago na internet.

Nesta terça-feira (30), a Globosat reuniu fãs de "Chaves" em sua sede, no Rio de Janeiro, para apresentar o projeto de exibição. Serviu até churros e refrescos de tamarindo, referências da série. O maior fã-clube dos programas mexicanos no Brasil, Fórum Chaves, publicou a informação em sua página e deixou o público surpreso com a novidade.

O Multishow criou até uma tag para os fãs divulgarem nas redes sociais a estreia da série no canal pago: #ChavesNoMSW. Em 2017, o canal pago estreou uma série que chegou a ser comparada a "Chaves": "A Vila", estrelada por Paulo Gustavo.

"Chaves" e "Chapolin" não são as primeiras produções compartilhadas entre a Globosat e um canal aberto. Os direitos de "Mr. Bean", por exemplo, pertencem à Band na TV aberta e ao canal pago Viva na TV por assinatura.

O SBT reagiu à compra das séries pela Globosat com bom humor. No Twitter, a emissora publicou uma foto de Quico, Chaves e Seu Madruga com a legenda: "Só observando os memes aqui".

Nova dublagem

O pacote reúne 273 episódios de "Chaves" e 250 de "Chapolin", incluindo 244 histórias inéditas (117 de "Chaves" e 127 de "Chapolin") que começaram a ser dubladas. "Sobre os episódios antigos, estamos avaliando se vamos fazer nova dublagem", antecipa Guilherme Zattar, diretor-geral do Multishow ao UOL.

Reprodução/SBT
Marcelo Gastaldi, dublador de Chaves e Chapolin, morto em 1995 Imagem: Reprodução/SBT
"Chapolin" estreou no México em 1970, como quadro do programa "Chespirito", de Roberto Gómez Bolaños (1929-2014). A mesma atração lançou "Chaves" em 1972. A audiência cresceu, e no ano seguinte as duas séries tornaram-se atrações próprias, até 1979, quando Carlos Villagrán (Quico) e Ramón Valdés (Seu Madruga) deixaram o elenco. Entre 1980 e 1992, voltaram a integrar o programa "Chespirito".

Das vozes clássicas de "Chaves", dublado entre 1984 e 1992 pela Maga, morreram Marcelo Gastaldi (Chaves), Osmiro Campos (Professor Girafales), Mário Vilella (Sr. Barriga e Nhonho), Helena Samara (Bruxa do 71), Silton Cardoso (Godines) e Older Cazarré (Jaiminho), entre outros dubladores de personagens menores.

Entre os remanescentes, estão Marta Volpiani (Dona Florinda e Pópis), Sandra Mara Azevedo e Cecília Lemes (Chiquinha e Dona Neves), Nelson Machado (Quico) e Carlos Seidl (Seu Madruga). Os dois últimos, porém, não dublaram episódios inéditos para o SBT, em 2012, e foram substituídos por Vinícius Sousa e Marco Moreira, respectivamente.

Chaves quase foi da Globo

Divulgação/SBT
Roberto Gómez Bolaños posa como Chaves Imagem: Divulgação/SBT
Em 2005, quando "Chaves" e "Chapolin" comemoravam 20 anos no SBT, as séries quase foram parar na Globo. A emissora carioca fez uma proposta à Televisa e por muito pouco não tirou os programas de Silvio Santos.

Para renovar o acordo com o SBT, a rede mexicana pediu 1,5 milhão de dólares, o triplo do que Silvio pagava para reprisar as séries à exaustão. Na época, a emissora exibia "Chaves" no fim de tarde e mantinha média de 15 pontos no Ibope da Grande São Paulo, o suficiente para bater a Record e encostar na Globo.

O fim da história o público sabe: Silvio Santos topou renovar com a Televisa e manteve "Chaves" na programação.

Fora da TV, "Chaves" e "Chapolin" já foram da Globo como história em quadrinhos. A editora Globo lançou em 1991 os gibis "Chapolim & Chaves" (com nova grafia para "Chapolin"), que hoje são raros e disputados como ouro pelos fãs.

33 anos no Brasil

Neste momento, "Chaves" é exibido na TV apenas nas manhãs de sábado e domingo do SBT. "Chapolin" está fora do ar. A rede de Silvio Santos comprou as séries em 1981 e as estreou em 20 de agosto de 1984, dentro do programa "TV Poww", apresentado por Paulo Barboza.

Nestes 33 anos de exibição, o SBT mexeu na programação e tirou "Chaves" e "Chapolin" do ar dezenas de ocasiões. Em 2004, as séries ficaram quase um ano sem exibições diárias, e os fãs organizaram um evento no Rio de Janeiro para pressionar Silvio Santos a reexibir os programas mexicanos.

Em 2011, o SBT desengavetou episódios "perdidos", exibidos somente nos anos 80, para comemorar os 30 anos da emissora. No ano seguinte, Silvio trocou "Chaves" pelo programa da filha, Patricia Abravanel, mas os fãs não aceitaram e fizeram campanha massiva nas redes sociais. O SBT abraçou a campanha e trouxe a série de volta.

"Chaves" e "Chapolin" já estiveram na TV paga brasileira em três canais diferentes. Em 2010, a Turner comprou os direitos das séries e levou ao ar no Cartoon Network. No mesmo ano, estrearam no TLN, canal da Televisa que exibia novelas mexicanas em português. Em 2014, foi a vez dos canais Boomerang e TBS, também da Turner.

Atualmente, nenhum canal pago exibe "Chaves" e "Chapolin". As séries saíram do catálogo da Netflix em 2016 para serem exclusivas do Blim, serviço de streaming da Televisa.

"El Chavo del Ocho" (nome original de "Chaves") foi exportado para quase toda a América Latina (exceto Cuba), exibido em mais de 90 países e dublado em 50 idiomas, segundo a Televisa, que detém os direitos de transmissão no México. No final de 2017, o Grupo Chespirito rompeu com a rede mexicana e assumiu o controle das séries de Bolaños e de produtos relacionados.

*Colaborou Mauricio Stycer, blogueiro do UOL

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!