Topo

Televisão


Eduardo Costa gravou dois programas na Globo e exibição vira batata quente

Reprodução/TV Globo
Eduardo Costa participa de gravação do "Altas Horas" ao lado de Fernanda Gentil, Mumuzinho e Hassum Imagem: Reprodução/TV Globo

Gilvan Marques

Do UOL, em São Paulo

13/11/2018 04h00

Eduardo Costa participou das gravações de dois programas da Globo e a exibição das atrações se tornou um grande imbróglio, depois que ele xingou de "imbecil" a apresentadora Fernanda Lima, do "Amor & Sexo".

O sertanejo gravou "Altas Horas" e "Conversa com Bial", mas ambos seguem com datas indefinidas para irem ao ar. O "Conversa com Bial" foi gravado no mês passado e estava previsto para ser veiculado nesta semana, mas saiu da grade abruptamente. A emissora nega o cancelamento.

O músico também marcou presença no "Altas Horas" na última quinta-feira (8), ao lado de outros nomes conhecidos como Fernanda Gentil, Leandro Hassum e Mumuzinho.

Nos bastidores, havia uma expectativa para que o programa fosse exibido no sábado (10), o que acabou não acontecendo. Até mesmo Fernanda Gentil foi pega de surpresa. Ela chegou a publicar um vídeo nas redes sociais dizendo que o programa seria transmitido em outra data.

Em nota enviada ao UOL, a Globo explicou que a edição do "Altas Horas" com Costa não foi cancelada e informou que ela irá ao ar somente em janeiro de 2019, quando Serginho Groisman sai de férias.

"O programa não foi cancelado. É uma rotina da Globo [realizar] a gravação de programas para cobrir férias dos apresentadores. A edição do 'Altas Horas' que conta com a participação dos cantores Eduardo Costa e Mumuzinho, do ator Leandro Hassum e da jornalista Fernanda Gentil tem previsão de exibição para janeiro de 2019, quando Serginho Groisman sai de férias", informou a emissora.

Sobre a gravação do "Conversa com Bial", a Globo diz que "a edição tem previsão de exibição para este ano ainda", mas não especifica em qual data.

Relembre a polêmica

Em um programa com o tema mulher, Fernanda Lima fez um discurso contra o conservadorismo e avisou que "a revolução estava apenas começando".

"Chamam de louca a mulher que desafia as regras e não se conforma. Chamam de louca a mulher cheia de erotismo, de vida e de tesão. Chamam de louca a mulher que resiste e não desiste. Chamam de louca a mulher que diz sim e diz não. Não importa o que façamos, nos chamam de louca. Se levamos a fama, vamos sim deitar na cama. Vamos sabotar as engrenagens desse sistema de opressão."

"Vamos sabotar as engrenagens desse sistema homofóbico, racista, patriarcal, machista e misógino. Vamos jogar na fogueira as camisas de forças da submissão, da tirania e da repressão. Vamos libertar todas nós e todos vocês. Nossa luta está apenas começando. Preparem-se porque essa revolução está apenas começando".

Eduardo Costa, por sua vez, não gostou do discurso e reagiu através de um comentário feito nas redes sociais chamando Fernanda Lima de "imbecil" e dizendo que "a mamata vai acabar".

"Mais de 60 milhões de brasileiros e brasileiras votaram no Bolsonaro e agora essa imbecil com esse discurso de esquerdista! Ela pode ter certeza de uma coisa, a mamata vai acabar, a corda sempre arrebenta pro lado mais fraco e o lado mais fraco hoje é o que ela está. Será que essa senhora só faz programa pra maconheiro, pra bandido, pra esquerdista derrotado, e pra esses projetos de artista assim como ela?", reagiu Costa.

Depois, diante de tamanha repercussão, a apresentadora da Globo agradeceu o carinho do público e comemorou o debate gerado com suas palavras.

"Gostaria de agradecer o carinho das pessoas que têm se manifestado positivamente em relação ao programa que foi ao ar na última terça-feira, sobre a mulher. Estou recebendo muito amor e com isso renovando minhas energias para seguir a caminhada [...]."