Topo

Televisão


Drica Moraes diz que leucemia a ajudou a compor médica de "Sob Pressão"

Divulgação / TV Globo
Drica Moraes será Vera, uma infectologista truculenta e mal humorada Imagem: Divulgação / TV Globo

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

2019-04-18T04:00:00

18/04/2019 04h00

Drica Moraes estreia na terceira temporada de "Sob Pressão" na pele da infectologista Vera, uma médica descrita pela atriz como truculenta e mal humorada. A atitude ranzinza da profissional se deve a um passado sofrido, que será mostrado ao longo dos episódios. A atriz, no entanto, defende e compreende a personagem também como um produto da saúde pública no país.

"Acho que a rotina acaba te dando uma carranca. Você começa a ficar frio pela rotina, se habitua com situações. Isso não quer dizer que as pessoas não sintam, quer dizer que têm uma máscara. A Vera é uma mulher que vai se embrutecendo pelo contato diário com atrocidades, com injustiças, com arbitrariedade em relação à saúde", explica.

"Mas é uma super médica, competente, que prioriza o paciente. Você tem que criar uma segunda pele pra sobreviver. A Vera criou".

A atriz fez laboratório, mas a convivência com médicos na família e a experiência de ter enfrentado uma doença, a leucemia, e um transplante de medula em 2010, permitiram que Drica estivesse mais familiarizada com o vocabulário e compreendesse mais facilmente alguns procedimentos médicos.

Divulgação / TV Globo
Drica durante o lançamento da terceira temporada da série: experiência em hospitais ajudou Imagem: Divulgação / TV Globo
"Eu também tenho médicos em casa. Meu marido é médico, minha irmã é médica, meu cunhado é médico e eu fui paciente por muitos anos. Então, eu tenho uma 'expertise' de conhecer os dois lados da coisa. Foi um presente contar um pouco dessa história, por mais dolorosa que ela seja".

Assim como sua colega de elenco, Marjorie Estiano, Drica admite que era impossível não se contagiar pelo clima pesado das gravações da série, que reflete o caos da saúde pública brasileira.

"Esse contato com o desamparo do povo da saúde pública me abalou. Na sala de maquiagem, ficava vendo [os atores e figurantes representando] as pessoas em situações muito precárias de sobrevivência, esperando e morrendo nas filas. Isso me fazia sair bem arrasada".

O grau de realismo das cenas é, na opinião da atriz, um dos pontos fortes da produção dirigida por Andrucha Waddington, que reestreia no dia 2 de maio na Globo.

"A gente fica mais do que indignada, mais do que chocada de perceber como a saúde é tratada pelas políticas públicas no país. Acho que esse é o grande dedo na ferida que a série coloca".