Topo

Televisão


Ana Hikari muda visual e combate estereótipo: "Sou atriz, não só japonesa"

Ana Hikari muda visual para As Fives, série derivada de Malhação: Viva a Diferença - Alê Queiroz/Divulgação
Ana Hikari muda visual para As Fives, série derivada de Malhação: Viva a Diferença Imagem: Alê Queiroz/Divulgação

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

07/08/2019 04h00

Sete anos se passam entre as histórias de Malhação: Viva a Diferença (2017) e de sua série derivada, As Fives, prevista para estrear no início de 2020 no serviço de streaming da Globo. Ana Hikari foi a primeira das cinco protagonistas a mostrar o novo visual de sua personagem, Tina. Os cabelos, mais longos e ondulados, ajudaram a atriz a adotar uma postura mais séria da adolescente que cresceu e virou mulher.

"Essa mudança de visual faz parte dessa minha entrega como atriz. Confio muito na equipe, na direção de arte e prefiro não dar pitacos, porque não me formei nisso (risos). Foi muito importante essa caracterização, porque foi durante a preparação e me ajudou a trazer um clima mais adulto para a Tina. Ela está mais centrada, desenvolvida, madura mesmo", antecipa ao UOL.

Em Viva a Diferença, novela vencedora do Emmy Kids 2018, Tina era uma adolescente rebelde e questionadora, desafiava os pais e brigava para defender as amigas. Ana Hikari, que entrou em Malhação com 21 anos e hoje tem 24, tem se esforçado para amadurecer a personagem em As Fives.

"A essência da Tina não mudou, as pessoas vão reconhecer. Mas todo mundo na vida, quando evolui bastante, muda a maneira de pensar, de agir, de se relacionar. Isso, com certeza, tem muita diferença, e estou batalhando para trazer na atuação essas diferenças de atitude, de voz. É um baita desafio. Seria muito mais fácil se fosse uma personagem nova", admite.

Ana Hikari mudou de visual em Malhação: Viva a Diferença (2017) - Montagem/UOL/Marilia Cabral/Victor Pollak/TV Globo
Ana Hikari mudou de visual em Malhação: Viva a Diferença (2017)
Imagem: Montagem/UOL/Marilia Cabral/Victor Pollak/TV Globo

Amizade das Fives

As protagonistas se tornaram amigas também fora dos Estúdios Globo e mantiveram a fraternidade que começou no parto de Keyla (Gabriela Medvedovski) dentro do metrô, no primeiro capítulo de Viva a Diferença. "Estamos todos muito empolgados, porque é um reencontro", comemora Hikari, que atribui à amizade parte do sucesso da novela.

Protagonistas de Malhação Viva a Diferença se reúnem para spin-off: As Five - Reprodução/Instagram
Protagonistas de Malhação Viva a Diferença se reúnem para spin-off: As Five
Imagem: Reprodução/Instagram
"Nunca tivemos pretensão de sermos amigas. Aconteceu mesmo, porque a gente se gostou. Temos um profissionalismo muito grande de conseguir criar um clima de companheirismo de trabalho, porque percebemos que para fazer bem a novela precisávamos ser parceiras uma da outra. Quando entendemos isso, tudo ficou mais fácil. Essa cumplicidade passou para o público", explica.

As gravações de As Fives começaram anteontem, mas o burburinho em torno da produção teve início bem antes. Assim que as atrizes publicaram as primeiras imagens, o público sentiu falta de um das protagonistas: Manoela Aliperti, a Lica. Os fãs, ao mesmo tempo criativos e preocupados, especulam de tudo: que ela tira as fotos ou aparece fantasiada para despistar.

Ana Hikari evita falar sobre a aversão da amiga para aparecer nas fotos, mas diz que ela está bem e está confirmadíssima na série: "Sim, ela está! Eu amo essas teorias, acho muito engraçadas, porque às vezes é mais simples do que vocês imaginam. Ela está bem, com saúde".

O casal Anderson (Juan Paiva) e Tina (Ana Hikari), de "Malhação: Viva a Diferença" - Ramon Vasconcelos/TV Globo
O casal Anderson (Juan Paiva) e Tina (Ana Hikari), de "Malhação: Viva a Diferença"
Imagem: Ramon Vasconcelos/TV Globo

Preconceito

A atriz de Malhação viu em Tina a oportunidade de quebrar preconceitos. A garota foge do estereótipo "japonês" da dramaturgia e, na novela, foi discriminada por namorar um negro. Na vida real, Ana Hikari sofre racismo durante passeios em família, por ser filha de pai negro e mãe asiática. Pela vivência própria, ela costuma se posicionar sobre temas sociais e contra qualquer tipo de intolerância a diferenças.

"Minha mãe já foi parada pela polícia com meu pai. Perguntaram se ela estava bem, porque tinha um negro com ela no táxi, como se estivesse sendo sequestrada. Outro dia, eu estava almoçando com meu pai e um cara virou para mim e falou assim: 'Você tem certeza de que sua mãe não pulou a cerca? Você acha que é filha do seu pai mesmo?'. A pessoa acha que é só uma brincadeira e está tudo bem, mas é um preconceito e está errado. As pessoas não refletem sobre isso, é uma pena, por isso sempre me posiciono sobre todas essas questões. Estou por aqui com esse tipo de coisa", desabafa.

"O Cao [Hamburger, autor de Malhação: Viva a Diferença] me deu um presente com a Tina, porque soube trazer muito bem essa representatividade fora do estereótipo. Passou da hora de as pessoas entenderem que nós somos brasileiros. Posso ser o que quiser, porque sou simplesmente uma mulher brasileira de 24 anos. A maior coisa que gostaria de conquistar é ser reconhecida como boa atriz e que me chamem para os papéis por eu ser uma boa atriz, não porque há uma personagem japonesa na novela", finaliza.