Topo

Televisão


Bailarina do Faustão se descobriu "mulherão" ao virar Miss São Paulo

Bailarina Jaque Ciocci durante o Domingão do Faustão - Reprodução/Instagram/jaqueciocci
Bailarina Jaque Ciocci durante o Domingão do Faustão Imagem: Reprodução/Instagram/jaqueciocci

Do UOL, em São Paulo

16/08/2019 13h55

Jaque Ciocci, bailarina do programa do Faustão desde 2018, conta em entrevista ao "Gshow" que era "esquisitinha" na época do colégio e só se descobriu um "mulherão" depois de vencer o Miss São Paulo em 2015.

A bailarina contou que na época da escola os meninos não queriam saber dela, mas "o jogo virou" quando participou do concurso que, segundo ela, causou uma "transformação". Um amigo deu o passo inicial para essa mudança, quando a inscreveu no concurso.

"Ele pegou fotos das minhas redes sociais e mandou para os organizadores, daí me chamaram para a seletiva. Acabei concorrendo e ganhei o título", contou. "Para mim, foi uma virada, porque eu sempre fui muito moleca".

Foi o momento em que eu comecei a me entender como mulherão. Eu não entendia nada de concurso de beleza, fui com o que eu achava que poderia ser bom Jaque Ciocci

Segundo ela, no concurso ela aprendeu a se vestir e a se maquiar, "mas também a se gostar e a se empoderar", disse. "Cada menina tem um objetivo no concurso, mas eu vi como uma maneira de transformar as pessoas e passar o bem adiante".

Jaque tem 24 anos e entrou no balé do Faustão no ano passado. Ela contou que, apesar de ter estudado dança desde criança - afinal sua mãe também é bailarina -, sempre levou a atividade como um hobby.

Aos 16 anos ela interrompeu os estudos com dança devido à vontade de fazer engenharia ou arquitetura. Optou por arquitetura, na qual se formou no ano passado. O concurso de beleza aconteceu quando a bailarina estava no terceiro ano de sua graduação.

A chegada ao Balé do Faustão foi através de uma amiga que já participava do quadro Ding Dong do programa. A amiga a indicou para o quadro, ao qual ela participou durante os seus dois últimos anos da faculdade. "Quando acabei a faculdade, surgiu uma vaga para ficar fixa no Balé e eu entrei", conta.