Topo

Novela

Éramos Seis


Éramos Seis: o que você precisa saber para acompanhar a nova novela das 18h

Além de valores e laços familiares, Éramos Seis aposta em dona Lola mais moderninha para bombar na audiência - false
Além de valores e laços familiares, Éramos Seis aposta em dona Lola mais moderninha para bombar na audiência

Órfãos da Terra está na reta final e logo será substituída na faixa das 18h por Éramos Seis, trama de Ângela Chaves que acompanhará a família de dona Lola Lemos (Glória Pires), entre as décadas de 1920 e 1940.

Essa não é a primeira vez que o romance publicado em 1943 por Maria José Dupré vira novela. O livro foi adaptado por Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho (1945-2019). e transformado em novela outras duas vezes: na Tupi, em 1977, e no SBT, em 1994.

Nesta nova versão, que estreia na Globo em 30 de setembro, a autora promete uma dona Lola mais moderna que a vivida por Irene Ravache há 20 anos. "Diria que essa Lola tem mais voz, é menos submissa", disse a autora ao UOL.

Conheça a família Lemos, seus vizinhos, amigos e parentes:

Lola, Júlio e os filhos

A protagonista Lola é casada com Julio, papel de Antonio Calloni, e mãe de Carlos (Danilo Mesquita), Alfredo (Nicolas Prattes), Julinho (André Luiz Frambach) e Isabel Giullia Buscacio).

false

No começo da história, o casal se arrisca ao comprar uma casa na nobre Avenida Angélica, no centro de São Paulo, e, para isso, faz empréstimo a juros altos no banco — o que incomoda Júlio, que se cobra para ser um bom provedor para a família e se torna ambicioso por uma promoção no trabalho.

Enquanto isso, Lola cuida da casa e mantém os quatro filhos na linha, cultivando uma grande expectativa para o futuro deles. Os dois mais velhos vivem em pé de guerra: enquanto Carlos é o mais correto e dá orgulho aos pais, Alfredoestá sempre se envolvendo em confusões.

Nas décadas seguintes, os filhos do casal Lemos tomam rumos totalmente diferentes, mas permanecem unidos graças ao amor que têm pelos pais.

Carlos entra na faculdade de medicina, como sonhava quando era mais novo. Alfredo, que era uma criança difícil e sempre trazia problemas para os pais, investe toda a sua energia na militância política, por influência do amigo Lúcio e de seu pai, Virgulino. Isabel contraria as decisões dos pais e evita seguir padrões impostos para a época. E Julinho entra na faculdade de Engenharia.

A mãe e as irmãs Olga e Clotilde

A família vai além do casal e seus quatro filhos: fazem parte da trama a mãe de Lola, Maria (Denise Weimberg), e suas irmãs, Clotilde (Simone Spoladore) e Olga (Maria Eduarda de Carvalho).

Reprodução/Globo
Imagem: Reprodução/Globo

As três moram em Itapetininga, no interior de São Paulo, com sua tia Candoca (Camilla Amado), e são sustentadas pela venda dos doces e quitutes de Maria, que precisou sustentar as três meninas depois de ficar viúva, ainda muito jovem. Por conta desse histórico, é do tipo de mulher que não se importa com o que os outros dizem e procura transmitir esse pensamento às filhas.

Olga e Clotilde são completamente diferentes: enquanto a primeira é vaidosa, moderna e diz aos quatro ventos que se casará com um homem rico, adora implicar com a segunda, mais modesta, dizendo que ela nunca irá se casar.

Quando as duas decidem passar algumas semanas na casa de Lola, em São Paulo, no entanto, se envolvem com possíveis pretendentes: Zeca (Eduardo Sterblitch) surpreende Olga com um pedido de casamento, enquanto Clotilde se interessa por Almeida (Ricardo Pereira).

A tia distante

Apesar de a mãe e as irmãs morarem no interior, Lola tem outros parentes vivendo na capital paulista: sua tia Emília (Susana Vieira) e sua prima Justina (Julia Stockler).

Globo/Raquel Cunha
Imagem: Globo/Raquel Cunha

Emília, irmã do pai de Lola, se casou com um homem muito rico, mas, apesar de ter um padrão de vida bastante confortável, sofre por conta de Justina, que tem um distúrbio mental não diagnosticado pela medicina da época. Por isso, mantém a filha longe do convívio social, limitando seus relacionamentos.

A personagem de Susana Vieira também é mãe de Adelaide (Joana de Verona), que desde a infância estuda em um colégio interno na Europa, já que a mãe não queria que o distúrbio de Justina a afetasse.

Os amigos e vizinhos

Apesar de gerar gastos altos, viver na Avenida Angélica é uma alegria para dona Lola, que ali fica perto da vizinha e amiga Genu (Kelzy Ecard), que está sempre atenta a todos os acontecimentos do bairro e seus moradores.

Ela é casada com Virgulino (Kiko Mascarenhas), um anarquista em segredo, que chega tarde em casa com frequência e mente para a mulher, dizendo que teve que ficar até mais tarde no trabalho. Ela pensa que ele tem uma amante, mas na verdade se ausenta por compromissos políticos.

O casal é pai de Lúcio (Jhona Burjack) e Lili (Triz Pariz), que são amigos de infância dos filhos de dona Lola.

Na Avenida Angélica também vivem o dono do armazém, Afonso (Cássio Gabus Mendes), casado com Shirley (Bárbara Reis). Ela é mãe de Inês (Carol Macedo), menina que nasceu de um relacionamento anterior e foi adotada por Afonso como filha.

false

Em determinado momento da história, o pai biológico de Inês será revelado: ele é João Aranha (Caco Ciocler), herdeiro de uma família abastada em Salvador, com quem Shirley se envolveu no passado — os dois se separaram graças à armação da mãe de João, que não queria ver o filho casado com uma mulher negra e de origem mais pobre.

A chegada de João Aranha formará um triângulo amoroso entre Afonso e Shirley, que guarda mágoas por pensar ter sido abandonada pelo pai de sua filha.

Os cenários

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado, Alfredo é o filho de Lola que se mete em confusão enquanto Carlos é considerado o "certinho". A informação foi corrigida.