Topo

Televisão


Gugu Liberato morre aos 60 anos, após acidente doméstico nos EUA

Do UOL, em São Paulo

22/11/2019 21h08

Resumo da notícia

  • Gugu Liberato morreu após sofrer um acidente doméstico, nos Estados Unidos
  • O apresentador caiu de uma altura de quatro metros ao tentar arrumar o ar condicionado de sua casa, em Orlando
  • Após constatada a morte encefálica, a família decidiu doar todos os seus órgãos
  • Gugu vivia nos EUA com os três filhos que teve com a médica Rose Miriam Di Matteo: João Augusto, de 18 anos, e as gêmeas Marina e Sofia, de 15
  • Atualmente, ele apresentava na Record o reality show Canta Comigo, que terá a sua final no dia 4 de dezembro

Foi anunciada hoje a morte do apresentador Gugu Liberato, aos 60 anos, após sofrer um acidente doméstico na quarta-feira, nos Estados Unidos. De acordo com nota oficial divulgada por sua assessoria de imprensa, ele teve uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão de sua casa, em Orlando.

"Foi prontamente socorrido pela equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local. Na admissão, deu entrada em escala de Glasgow 3 [usada para medir a consciência e a evolução das lesões cerebrais], e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação, foi constatada a ausência de atividade cerebral."

A nota ainda afirma que a morte encefálica foi confirmada pelo prof. dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que, após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico. O diagnóstico foi feito diante de sua mãe, Maria do Céu, de 90 anos, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

"Ainda não temos detalhes sobre o traslado para o Brasil. Informações sobre velório e sepultamento serão passadas assim que tudo estiver definido." De acordo com a assessoria de imprensa, a família autorizou a doação de todos os órgãos do apresentador.

"Nosso Gugu sempre viveu de maneira simples e alegre, cercado por seus familiares e extremamente dedicado aos filhos. E assim foi até o final da vida", afirmou a nota. "Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partida nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente. Fica a saudade, ficam as lembranças —que são muitas— e a certeza de que Deus recebe agora um filho querido, e o céu ganha uma estrela que emana luz e paz."

A nota é assinada por seus familiares e funcionários.

Desde quinta-feira, havia boatos a respeito de morte de Gugu. Muitos famosos chegaram a lamentar publicamente o ocorrido, em suas redes sociais, mas a assessoria do apresentador divulgou uma nota à noite afirmando que ele seguia internado na UTI do hospital e que permanecia vivo.

Gugu teve três filhos com a médica Rose Miriam Di Matteo: João Augusto (18 anos) e as gêmeas Marina e Sofia (15 anos).

Gugu com os filhos, João Augusto, Marina e Sofia Liberato - Reprodução/ Instagram
Gugu com os filhos, João Augusto, Marina e Sofia Liberato
Imagem: Reprodução/ Instagram

Atualmente, Gugu apresentava na Record, às quartas-feiras, o reality show Canta Comigo, que terá a sua final no dia 4 de dezembro. O programa já está inteiramente gravado. Os próximos compromissos do animador na emissora seriam o especial Família Record e o reality de casais Power Couple.

Após o anúncio da morte, a emissora também divulgou uma nota. "É com muito pesar que a Record TV lamenta o falecimento do apresentador Gugu Liberato nesta sexta, dia 22 de novembro de 2019. A Record TV teve a honra de contar com o talento de Gugu Liberato na sua programação ao longo de dez anos. Na tela da emissora, ele levou ao público diversão, humor, grandes entrevistas e muita emoção. Profissional versátil, transitou em diversos gêneros com uma desenvoltura ímpar, realmente única na televisão brasileira."

Cartas para Silvio Santos

Antônio Augusto de Moraes Liberato nasceu em São Paulo, em 10 de abril de 1959. Filho dos portugueses Maria do Céu e Augusto Claudino Liberato, Gugu trabalhou na televisão desde a adolescência e foi apontado como o sucessor de Silvio Santos.

Com apenas 14 anos, Gugu começou a carreira enviando cartas para Silvio com sugestões de quadros e gincanas. Prestes a fazer aniversário, o apresentador o contratou para trabalhar ao lado dele em seus programas.

"Eu ia fazer 15 anos no mês em que entrei lá. Fiquei de 1974 a 2009, foram 38 anos. Antes de trabalhar em frente às câmeras, eu trabalhava com ele no palco, na produção. Tudo o que sei foi ele que me ensinou", recordou Gugu em entrevista ao Programa do Porchat, na Record, em 2017.

O apresentador chegou a cursar odontologia, mas desistiu a pedido de Silvio, que investiu em seu pupilo a ponto de bancar um curso de jornalismo para ele na Faculdade Cásper Líbero.

Gugu com Silvio Santos no "Roletrando" em 1988 - Moacyr dos Santos/SBT
Gugu com Silvio Santos no "Roletrando" em 1988
Imagem: Moacyr dos Santos/SBT
Viva a Noite

De auxiliar de produção, Gugu se tornou apresentador do Sessão Premiada, em 1981, no SBT. No ano seguinte, estreou seu primeiro programa de sucesso, Viva a Noite, formato argentino encomendado por Silvio. Durante dez anos, foi uma das maiores audiências da TV nas noites de sábado.

Na época, Gugu já era chamado de "novo Silvio Santos", rótulo que ele rejeitava. "Silvio não é apenas um apresentador. Ele é um gênio, e os gênios são insubstituíveis", afirmou em entrevista à revista Veja, em 1983.

No Viva a Noite, Gugu fazia gincanas com famosos e promovia concursos curiosos, como Rambo Brasileiro. Em um dos quadros mais famosos, Sonho Maluco, Gugu atravessou um túnel de fogo e, mesmo com trajes adequados, sofreu queimaduras graves no corpo.

A atração semanal também divulgou à exaustão o conjunto musical Menudo. Inspirado nos garotos portorriquenhos, Gugu criou a Promoart e lançou grupos como Polegar, Dominó e Banana Split. Também investiu em sua própria carreira de cantor, com hits como Docinho, Docinho e Baile dos Passarinhos, que encerrava o Viva a Noite.

A quase ida para a Globo

Em 1987, no auge do Viva a Noite, uma notícia abalou os bastidores da televisão: a Globo contratou Gugu Liberato. Recuperando-se de uma cirurgia nas cordas vocais, Silvio Santos conseguiu reverter o acordo indo pessoalmente à sede da emissora carioca. E trouxe seu pupilo de volta ao SBT.

"O Boni [vice-diretor de operações da Globo] me chamou, fizemos um contrato e acabei assinando com a Globo, que me prometeu um programa aos domingos e vários formatos. Fizeram cenário, estava tudo pronto para estrear. Silvio me chamou: 'Eu queria que você não fosse para a Globo, porque estou com um problema de garganta e talvez eu não possa fazer o meu programa. Eu quero que você fique e divida o domingo comigo", relembrou Gugu a Porchat.

Promovido aos domingos, Gugu apresentou uma série de game shows, como Passa ou Repassa, Cidade Contra Cidade, TV Animal, Nações Unidas, Corrida Maluca e Roletrando. Aos sábados, o Viva a Noite foi substituído pelo Sabadão Sertanejo, que virou Sabadão e, mais adiante, Disco de Ouro.

Domingo Legal

Gugu ficou à frente do "Domingo Legal" por 16 anos - Roberto Nemanis/SBT
Gugu ficou à frente do "Domingo Legal" por 16 anos
Imagem: Roberto Nemanis/SBT

Em 17 de janeiro de 1993, Gugu Liberato estreou seu programa de maior sucesso: Domingo Legal. Sob o comando do apresentador durante 16 anos, a atração fez história com quadros eternizados na TV, como Táxi do Gugu, Gugu na Minha Casa e Banheira do Gugu, com famosos se digladiando em uma banheira à procura de sabonetes.

O Domingo Legal acumulou vitórias contra o Domingão do Faustão entre 1997 e 2002, e a guerra por audiência colocou os apresentadores em clima de rivalidade (Gugu chegou a "nocautear" o global em uma campanha do SBT). Em 2003, porém, eles se uniram de maneira inédita na TV durante a campanha Junta Brasil, da Nestlé, em que um conversava com o outro ao vivo.

No Domingo Legal, Gugu conheceu o auge e o declínio. A Banheira precisou mudar de horário por imposição do Ministério da Justiça. O ator Thiago Lacerda o processou por ter leiloado uma suposta sunga usada por ele.

A pior mancha da carreira de Gugu foi ao ar em 7 de setembro de 2003, quando dois supostos criminosos da facção criminosa PCC deram uma entrevista ao programa e ameaçaram de morte o então vice-prefeito de São Paulo, Hélio Bicudo, e três apresentadores de programas policiais: José Luiz Datena (Band), Marcelo Rezende (Rede TV!) e Oscar Roberto Godói (Record). Eles ainda assumiram a tentativa de sequestro do padre Marcelo Rossi, um dos melhores amigos de Gugu, ocorrido uma semana antes.

Pouco depois de o programa ir ao ar, a própria facção desmentiu que os homens fizessem parte do grupo. Gugu virou alvo de investigações e disse não saber da farsa —segundo ele, teria confiado no relato do repórter Wagner Maffezoli. A audiência do Domingo Legal perdeu fôlego, e o apresentador decidiu, enfim, deixar o SBT após mais de três décadas ao lado de Silvio Santos.

Gugu e Marlon, no "Power Couple Brasil" - Reprodução/Record
Gugu e Marlon, no "Power Couple Brasil"
Imagem: Reprodução/Record
Contrato com a Record

Em junho de 2009, Gugu trocou o SBT pela Record, em uma das negociações mais caras da TV até então. O apresentador, recebendo R$ 3 milhões mensais, passou a disputar audiência com o ex-patrão. A investida não foi bem-sucedida e, após queda de audiência e troca de horário, Gugu anunciou o fim de seu programa, em junho de 2013.

Pela primeira vez em mais de 30 anos, decidiu ficar fora da televisão. Em 2014, o apresentador tirou um ano sabático. Após ter rescindido seu contrato milionário com a Record, Gugu retornou à emissora em 2015, mas como sócio, dividindo os custos de produção e utilizando os estúdios de sua empresa audiovisual, a GGP. O Programa Gugu, apresentado às quartas-feiras, investiu em reportagens e tinha direção do departamento de jornalismo da casa.

A atração, exibida ao vivo, ficou marcada por entrevistas polêmicas, como a que ele fez com Suzane von Richthofen, e a reportagem que mostrou a abertura do túmulo de Dercy Gonçalves.

Nos últimos dois anos, Gugu passou a apresentar reality shows e comandou duas edições do Power Couple Brasil e duas do Canta Comigo.

Televisão