PUBLICIDADE
Topo

Televisão


Choro e homenagens marcam Domingo Legal dedicado a Gugu

Do UOL, em São Paulo

24/11/2019 16h36

O Domingo Legal, programa que durante 16 anos (1993-2009) foi a principal atração de Gugu Liberato no SBT, apresentou hoje uma edição inteiramente dedicada ao apresentador, que morreu aos 60 anos após sofrer um acidente doméstico.

Ao longo de quatro horas, das 11h às 15h, o programa atualmente comandado por Celso Portiolli recebeu figuras importantes da trajetória de Gugu, como Sônia Abrão e Alessandra Scatena, e foi palco de homenagens emocionadas, com o apresentador e seus convidados indo às lágrimas em vários momentos.

Confira os principais momentos do Domingo Legal especial:

A abertura

O Domingo Legal começou com uma abertura antiga, em que Gugu entrava ao som de Pintinho Amarelinho. Nos quase dois minutos seguintes, seguiram-se imagens de vários momentos do apresentador ao longo do programa, no qual ficou por quase duas décadas antes de ir para a Record.

Sônia Abrão

Reprodução/SBT
Imagem: Reprodução/SBT

Celso Portiolli conversou com várias personalidades que tiveram a oportunidade de trabalhar com Gugu, a começar por Sônia Abrão. "Sou só gratidão por ter feito parte dessa história. Eu não assimilei ainda", disse a apresentadora da RedeTV!

Sônia lembrou um passo importante que deu em sua carreira graças a Gugu, a quem conheceu por volta de 1987. "Ele não conseguia mais acumular a função de colunista no Diário Popular ele me indicou. Foi a época em que saí do Notícias Populares, foi uma fase muito boa da minha carreira."

Mara Maravilha

Mara Maravilha, em seguida, ficou com a voz embargada e teve de interromper a fala ao se lembrar do apoio do apresentador na época da morte de sua mãe. "É difícil não chorar. A gente é um ser humano, não é robô", disse, antes de afirmar que a amizade com Gugu prevalecerá: "O Silvio [Santos] fala que amigo não é estar, amigo é ser. Nós vamos passar um tempo sem ver o Augusto. Mas o amigo não é estar, é ser. Ele é nosso amigo e vai ser sempre vivo dentro da gente".

Alessandra Scatena e o namoro

Reprodução/SBT
Imagem: Reprodução/SBT

Alessandra Scatena, que foi assistente de palco do Domingo Legal, relembrou o breve namoro que teve com Gugu e a amizade dos dois. "Namoramos por quase um ano. Foi uma história muito bonita. Ele me pediu em namoro pro meu pai, que trabalhava com ele no Corrida Maluca. É uma mistura. Eu como funcionária dele que fui - como sempre digo, ele é meu eterno patrão - e esse relacionamento que tivemos, como amigos depois, como conselheiros. Se eu tinha uma dúvida, ele me aconselhava".

Ela então foi às lágrimas ao dizer que ainda não tinha "caído a ficha" da morte do apresentador. "Não sei quando vai cair", completou, sendo abraçada por Celso Portiolli.

Robson Jassa

Reprodução/SBT
Imagem: Reprodução/SBT

Robson Jassa, filho de Jassa, o famoso cabeleireiro de Silvio Santos, também foi ao palco do Domingo Legal prestar homenagem a Gugu, a quem chamou de querido e generoso. "Toda vez que via o pai e mãe, [Gugu] chamava eles de 'pai' e 'mamãe'".

O apresentador também deu uma forcinha no início na carreira de Robson — e ajudou também toda a família do cabeleireiro. "Eu comecei a minha carreira e ele foi minha cobaia. Eu pintava o cabelo dele. Ele conseguiu convencer meu pai a fazer o 'antes e depois' no programa por tantos anos. Ajudou a nossa família como ninguém, eu sei disso. Depois do Silvio Santos, foi o Gugu [que ajudou]".

A emoção de Portiolli

Ao longo do programa, o apresentador Celso Portiolli também se emocionou várias vezes ao falar do amigo e colega de profissão.

O apresentador ficou especialmente tocado pela situação da mãe de Gugu, Maria do Céu, de 90 anos. "Fiquei comovido porque acabei de voltar de uma viagem com a minha mãe de 93 anos. Ele cuidava da mãe dele. Isso machucou muito o meu coração", disse, durante conversa com a apresentadora Adriane Galisteu.

Pouco depois, ele se dirigiu à família de Gugu, ainda muito emocionado: "Quando perdi meu pai, eu não tinha nada. Ele se foi, mas se eu pudesse dar um conselho seria: mantenham a união da família. Fortes, juntos".

Portiolli encerrou o programa com uma narração em que relembrava como foi desafiador assumir o comando do Domingo Legal das mãos de Gugu: "Um mestre de cerimônias que nos ensinou a dança do passarinho, o pintinho amarelinho; um jornalista atento e dinâmico".

"Que vazio enorme dentro do meu coração. E tenho certeza, do coração sempre dos brasileiros. Que sensação dolorosa diante da impossibilidade de fazer o tempo voltar e impedir você de fazer essa ultima estripulia. Nos damos conta de termos perdido um amigo. Estou esperando um post seu nas redes sociais, dizendo que foi um engano, fake news, que está tudo bem. Dizem que Deus também gosta de presentes, e desta vez ele escolheu a dedo. A televisão nunca mais será a mesma sem você, Gugu", concluiu.

Televisão