PUBLICIDADE
Topo

Televisão

Primeiro reality e novela censurada: Como era a TV brasileira há 20 anos?

No Limite, Uga Uga e Laços de Família estão entre as atrações da TV brasileira em 2000 - Montagem/UOL
No Limite, Uga Uga e Laços de Família estão entre as atrações da TV brasileira em 2000 Imagem: Montagem/UOL

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

12/01/2020 04h00

Parece que foi ontem, mas 2000 já faz duas décadas! A TV brasileira exibiu grandes atrações há 20 anos. Quais foram marcantes para você? Relembre:

Gente Inocente - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Crianças indiscretas

O primeiro domingo de 2000 começou com uma estreia marcante na Globo: Gente Inocente. Apresentado por Marcio Garcia, era estrelado por crianças como Sergio Malheiros e Bruna Marquezine, que faziam perguntas indiscretas a famosos adultos, Uma delas indagou sobre o "namorado gato" de Susana Vieira. O programa foi inspirado em um quase homônimo exibido pela TV Excelsior nos anos 60 e dirigido por Wilton Franco. Ele estava à frente do Gente Inocente, mas foi demitido da Globo e levou a mesma ideia para o SBT, que estreou na mesma época o programa Pequenos Brilhantes, comandado por Moacyr Franco.

Vivian Weyll interpretou Jujuba na TV Globinho, em 2000 - Reprodução/TV Globo - Reprodução/TV Globo
Imagem: Reprodução/TV Globo

TV Globinho

Foi em 2000 que a Globo exibiu pela primeira vez a TV Globinho, tão lembrada na internet quando falam mal de Fátima Bernardes e seu Encontro, que desde 2012 ocupa o horário da atração infantil. O nome TV Globinho já tinha sido usado para um programa tapa-buraco de Angélica, em 1996, mas quatro anos depois tornou-se o paraíso das crianças da década. Inicialmente um quadro do Bambuluá —era a TV oficial da cidade fictícia—, virou programa próprio e exibiu Bob Esponja, heróis da Marvel, animes como Dragon Ball Z e clássicos como Caverna do Dragão e Pica-Pau.

Luciano Huck, Jô Soares e Serginho Groisman em 2000 - Montagem/UOL - Montagem/UOL
Imagem: Montagem/UOL

"Rapa" da Globo

Em 2000, a Globo fez um "rapa" nos principais talentos da TV naquela década. Serginho Groisman, titular do Programa Livre (SBT), levou o mesmo formato para a concorrente e estreou seu Altas Horas em outubro. Antes, em abril, a emissora carioca lançou o Programa do Jô, sequência do bem-sucedido Jô Soares Onze e Meia, que o humorista havia comandado durante 12 anos na rede de Silvio Santos. Na mesma semana, estreou o Caldeirão do Huck, marcando o início da trajetória de Luciano Huck na Globo após o êxito do H, sua atração noturna na Band.

Banheira do Gugu - Reprodução/SBT - Reprodução/SBT
Imagem: Reprodução/SBT

Fim da banheira

Além de ter perdido dois apresentadores para a Globo, o SBT encerrou um de seus maiores sucessos dos anos 90: a Banheira do Gugu. O quadro que marcou o Domingo Legal com seios vazados e closes ginecológicos nas modelos sofreu punições do Ministério da Justiça, que ameaçou punir a rede de Silvio Santos. Gugu Liberato (1959-2019) passou a exibir o quadro mais tarde, depois das 20h, e transferiu a banheira para dentro do estúdio, mas se cansou do que chamou de "censura" e tirou do ar o maior sucesso do programa (picos de 25 pontos).

No Limite - Divulgação/Viva - Divulgação/Viva
Imagem: Divulgação/Viva

Reality show

O primeiro contato dos telespectadores com reality shows aconteceu em julho de 2000, com No Limite. Apresentado por Zeca Camargo e gravado no litoral do Ceará, o programa da Globo testou a resistência dos competidores com provas desafiadoras e até nojentas, como experimentar olhos de cabra e passar longos períodos sem comer. A atração, vencida pela cabeleireira Elaine Melo, atingiu 56 pontos de audiência.

Piores Clipes do Mundo - Reprodução/MTV - Reprodução/MTV
Imagem: Reprodução/MTV

Trash

A MTV revelou Zeca Camargo, Fernanda Lima e, em 2000, Marcos Mion. O ator, recém-saído da série Sandy & Junior (Globo), comandou o Piores Clipes do Mundo, um dos programas mais anárquicos da TV. Mesmo não pegando em vários televisores (apenas em TVs a cabo ou com sintonia UHF), a atração tornou-se a maior audiência da emissora (picos de cinco pontos) ao zoar sem dó clipes e artistas como Supla, Rita Lee, Chico César e até Michael Jackson. Em 2002, Mion foi para a Band. Há dez anos, está na Record.

O Cravo e a Rosa - Divulgação/TV Globo - Divulgação/TV Globo
Imagem: Divulgação/TV Globo

Dramaturgia

Minisséries e novelas também marcaram 2000. O SBT exibiu a mexicana O Diário de Daniela e a venezuelana Kassandra. A Record lançou Marcas da Paixão, com o novato Eriberto Leão no elenco. A Globo investiu em minisséries históricas como A Muralha e Aquarela do Brasil e estreou novelas até hoje na memória do telespectador, como O Cravo e a Rosa, Uga Uga (do "índio" loiro Cláudio Heinrich) e Laços de Família, marcada pela cabeça raspada de Carolina Dieckmann (em dezembro daquele ano) e a proibição de atores mirins na trama após reclamações de que a novela tinha cenas pesadas demais para crianças. A censura obrigou a Globo a alterar o horário de exibição.

Televisão