PUBLICIDADE
Topo

Novelas


Globo usa técnicas de Hollywood em cenas do furacão em Salve-se Quem Puder

A personagem Luna (Juliana Paiva) sob a supervisão do diretor artístico Fred Mayrink, na cena do furacão em Salve-se Quem Puder - Divulgação/ Globo/ João Miguel Júnior
A personagem Luna (Juliana Paiva) sob a supervisão do diretor artístico Fred Mayrink, na cena do furacão em Salve-se Quem Puder Imagem: Divulgação/ Globo/ João Miguel Júnior

Rafael Godinho

Do UOL, no Rio

31/01/2020 04h01

Resumo da notícia

  • UOL conversou com o supervisor executivo de efeitos especiais da novela, Bruno Netto
  • Salve-se Quem Puder contou com investimentos hollywoodianos na trama
  • As cenas do furacão demoraram cerca de três meses para ficarem prontas
  • Um parque aquático desativado foi usado como locação da novela no Rio
  • Cerca de 10 mil imagens reais foram captadas em Cancún, no México, para criar as cenas do desastre natural

Salve-se Quem Puder contou com um grande investimento da Globo para produzir o furacão fictício, que atingiu Cancún, no México, nas imagens que irão ao ar nesta sexta-feira (31). Quem assiste às cenas não tem dimensão de todo o trabalho envolvido por trás. Ao UOL, o supervisor executivo de efeitos especiais da novela, Bruno Netto, revelou como e onde foram feitas as gravações, com auxílio de técnicas usadas em Hollywood.

"No início, nós ficamos surpresos com a ideia e o desafio de fazer as cenas. Mas eu e o Fred Mayrink [diretor artístico da novela] pensamos em um lugar para fazer as ruas inundadas e criamos um cromaqui, com 45 metros de largura e 9 metros de altura. Fomos estudando vários espaços até chegarmos no parque aquático carioca Rio Water Planet. A piscina tem os quatro níveis de onda que a gente precisava. E dali todas as cenas foram feitas na rua", explica.

Bruno conta que para dar mais realidade aos capítulos, uma equipe precisou ir até ao México para captar as bases. Tudo foi gravado em uma noite comum e eles tiveram que transferir para o cenário do furacão. Essa junção só foi possível com o auxílio da computação gráfica.

Luna (Juliana Paiva) em uma das cenas do furacão de Salve-se Quem Puder - Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
Luna (Juliana Paiva) em uma das cenas do furacão de Salve-se Quem Puder
Imagem: Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
"Fizemos cerca de 10 mil imagens, com ajuda de drones. Usamos uma técnica aérea nova que nós nunca tínhamos usado antes. Foi um desafio muito grande. Mas vimos que era necessário, não tinha outro caminho, já que a novela pedia um furacão no meio de Cancún, com ruas alagadas, sendo devastadas. Foram necessários os efeitos virtuais entrarem junto com os mecânicos especiais", justifica.

Teo (Felipe Simas) no momento em que ele entra na água no meio da tempestade - Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
Teo (Felipe Simas) no momento em que ele entra na água no meio da tempestade
Imagem: Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
A teledramaturgia da Globo investiu em equipamentos usados em produções hollywoodianas. Bruno acredita que o cenário e a experiência sensorial dele interferem diretamente até na qualidade da interpretação do artista.

A cena do furacão de Salve-se Quem Puder foi gravada em um parque aquático no Rio - Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
A cena do furacão de Salve-se Quem Puder foi gravada em um parque aquático no Rio
Imagem: Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
"Todos os equipamentos que usamos na novela são usados em Hollywood e em qualquer outra produção de grande porte. Tivemos três ventiladores gigantes, fora as piscinas com ondas e toda água usada. Esses efeitos mecânicos são essenciais porque criam toda parte de interação do elenco com o virtual. Esses elementos em contato com o trabalho virtual fica o mais próximo da emoção que eles têm que passar possível", garante.

Kyra (Vitoria Strada) e Alexia (Deborah Secco) no furacão de Salve-se Quem Puder - Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
Kyra (Vitoria Strada) e Alexia (Deborah Secco) no furacão de Salve-se Quem Puder
Imagem: Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
Além da dedicação da equipe técnica e do elenco durante as gravações, o supervisor ressalta a importância do trabalho de pré e pós-produção. O tratamento das imagens que vão ao ar em apenas duas cenas demora cerca de dois meses para ficar pronto.

Luna (Juliana Paiva), Kyra ( Vitoria Strada) e Alexia (Deborah Secco) no meio da tempestade de Salve-se Quem Puder - Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
Luna (Juliana Paiva), Kyra ( Vitoria Strada) e Alexia (Deborah Secco) no meio da tempestade de Salve-se Quem Puder
Imagem: Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
"Usamos uma técnica para acrescentar os elementos que ficam voando, como papel, saco plástico, folhas de palmeiras, na hora da tempestade. Tudo isso foi simulado virtualmente. A cena da piscina, levamos uma semana para gravar. Mas o trabalho de pré-produção das imagens está sendo feito desde o fim do ano passado", conclui.

Luna (Juliana Paiva), Kyra ( Vitoria Strada) e Alexia (Deborah Secco) após enfrentarem a tempestade em Salve-se Quem Puder - Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
Luna (Juliana Paiva), Kyra ( Vitoria Strada) e Alexia (Deborah Secco) após enfrentarem a tempestade em Salve-se Quem Puder
Imagem: Divulgação/ Globo/João Miguel Júnior
Entenda a trama

Salve-se Quem Puder é a nova trama das 19h da Globo protagonizada por Deborah Secco (Alexia Máximo/Josimara), Juliana Paiva (Luna Furtado/Fiona) e Vítória Strada. A história começa com as três testemunhado em Cancún, no México, o assassinato do Juiz Vitório (Ailton Graça), morto por se tornar alvo de empresários e políticos ao combater a corrupção —isso as obriga a ingressar no Programa de Proteção à Testemunha no Brasil.

Alexia é uma atriz que luta para conseguir uma oportunidade na televisão e vê seu sonho interrompido ao viajar a Cancún para gravar sua primeira novela. Kyra é decoradora e vai ao México para acertar os detalhes da cerimônia do seu casamento com o empresário Rafael (Bruno Ferrari).

Kyra esbarra em Alexia e derruba suas coisas sem querer, enquanto é recepcionada por Luna, estudante de fisioterapia e funcionária de um resort local. A jovem é mexicana, mas filha de brasileiros. Criada pelo pai, Mário (Murilo Rosa), ela sonha em ir atrás da mãe, Helena (Flávia Alessandra), empresária de sucesso, que a abandonou quando criança.

Com o desastre natural, elas são dadas como "mortas" para retornarem com suas novas identidades ao Brasil. Como foi mostrado pelo UOL, na coletiva de imprensa de Salve-se Quem Puder, a Globo recebeu os jornalistas com uma tempestade artificial na cidade cenográfica do folhetim.

Novelas