PUBLICIDADE
Topo

Bonner pede calma no JN e admite medo em adoecer: 'Aqui não tem herói'

23.mar.2020 - William Bonner em edição do Jornal Nacional - Reprodução/TV Globo
23.mar.2020 - William Bonner em edição do Jornal Nacional Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

23/03/2020 20h50

O âncora William Bonner, do Jornal Nacional, pediu calma para os espectadores durante o telejornal da Rede Globo e admitiu que sente medo de adoecer por causa do coronavírus, mas que está lá, junto com seus colegas, para honrar o compromisso profissional.

O recado foi dado logo antes de qualquer notícia e teve como intenção tranquilizar as pessoas por conta do momento tenso que vive o Brasil com a pandemia do coronavírus.

"Antes de falar sobre as notícias de hoje, a gente vai fazer uma pausa, porque é muita informação o tempo todo sobre o coronavírus. Você já viu os destaques de hoje, e a gente vai fazer essa pausa primeiro para dizer simplesmente o que a gente fica repetindo um para o outro aqui: calma. Não dá para começar o JN de hoje sem pedir calma", afirmou Bonner.

"Mas olha o porquê dessa pausa. A gente precisa respirar, precisa entender que essa crise vai ter altos e baixos. Vai exigir sacríficos, mas no fim o Brasil e o mundo vão superar, apesar da aflição e dor que muitas famílias estão enfrentando", completou o jornalista.

A âncora Renata Vasconcellos também apontou que diversos profissionais continuam trabalhando, seguindo as orientações básicas de cuidado da Organização Mundial de Saúde (OMS), porque o mundo não pode parar e eles são importantes para a sociedade.

"Mas claro que alguns profissionais não podem parar. Isso vale para os profissionais de saúde, mas também para quem recolhe o lixo nas ruas, os policias, para quem faz manutenção das redes elétricas e muitos outros", disse a apresentadora.

Bonner, então, falou do trabalho dos jornalistas e daqueles que ajudam a levar ao ar o Jornal Nacional e outros programas da Globo. Ele ainda admitiu que tem medo de ficar doente, mas que isso faz parte da sua profissão.

"Quando a Globo aumentou o tempo diário do jornalismo, foi para levar essa informação necessária sem correria. Você saber como agir para se proteger. E claro que a gente também tem medo de adoecer, aqui não tem super-herói, nem entre nós nem entre colegas de outras categorias", disse.

Renata contou que na Globo, os profissionais da redação com 60 anos ou mais, considerados de risco para a covid-19, estão trabalhando de casa e qualquer colega que tenha sintoma de gripe também é orientado a trabalhar de home office.

Por fim, Bonner agradeceu o carinho de quem se preocupou com os jornalistas e relembrou o público de casa para manter a calma. "Exatamente como a capa que todos os jornais estamparam isso: 'Juntos vamos derrotar o vírus'".