PUBLICIDADE
Topo

Televisão

'Jantado' e criticado: As saias justas de Caio Coppolla na CNN Brasil

Caio Coppolla em um de seus debates na CNN Brasil - Reprodução/CNN
Caio Coppolla em um de seus debates na CNN Brasil Imagem: Reprodução/CNN

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

13/05/2020 12h00

Caio Coppolla acabou virando um dos destaques da CNN Brasil, mas talvez não pelos motivos que ele gostaria. O comentarista já foi criticado em diversas ocasiões na própria emissora devido a suas posições, o que o colocou em saias justas.

Relembre algumas delas:

Lição de Monalisa

O caso mais recente ocorreu nesta terça-feira (12), quando, durante o programa "O Grande Debate", o bacharel em direito discutiu com Augusto de Arruda Botelho, um advogado criminalista, enquanto debatiam se o vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril deveria ser liberado pela Justiça.

"Eu não sou garantista, doutor. Me ponha fora da sua laia. A minha biografia... Eu não faria o que você faz, doutor, nem por todo o dinheiro do mundo", declarou Caio.

Monalisa Perrone, que mediava a conversa, rebateu Coppolla: "Uma coisa tem de ficar muito clara: essa frase 'eu não sou da sua laia' não pode ser proferida. Então, estou falando aqui pra você, Caio. Nós temos que ter —nós três— o compromisso de termos respeito um pelo outro. Foi exatamente esse o texto que eu falei com vocês quando nós tivemos o primeiro debate. Então, para as funções de cada um, isso não interessa, e o debate está colocado".

"Fiéis aos fatos"

Em outro confronto com Monalisa Perrone, Caio Coppolla debatia o isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus, quando argumentou que a Itália havia desistido de manter um lockdown, uma vez que curva de infecções não foi achatada.

Neste momento, Monalisa se colocou no debate e informou que as informações de Coppolla não estavam corretas.

"Caio, você colocou a questão da Itália e precisamos ser fiéis aos fatos. Tivemos uma situação absolutamente surreal em Milão, no norte da Itália. No começo da crise, o prefeito da Itália foi contra o isolamento, relaxou as medidas. Um mês depois ele fez um vídeo, o mundo inteiro mostrou, dele pedindo perdão pelo número de mortes. Aí ele entrou com medidas mais sérias de isolamento e aí a gente viu a pandemia reverter e ter uma redução drástica",

Rebatido pela direção

Em uma das situações mais tensas, o comentarista foi rebatido pela própria direção da emissora. Depois de um período afastado por motivos de saúde, ele retornou ao canal e defendeu que o isolamento social deveria ser realizado apenas para os grupos de risco.

"O nosso comentário poderia estar sendo feito de casa, mas por uma questão meramente estética e cosmética, a gente vem ao estúdio e assume o risco de sermos contaminados e estamos aqui trabalhando. Estamos pesando a relação entre saúde e economia. Por que os trabalhadores em casa não têm o mesmíssimo direito que a gente tem aqui na CNN? Pessoas que estão em grupo de risco estão isoladas. Por que a gente quer impor algo tão diferente? O que que nos torna melhores ou piores que o cidadão que está em casa, impedido de trabalhar?", declarou ele.

Pouco tempo depois, Caio foi interrompido por Monalisa Perrone, que afirmou ter uma mensagem da direção. do canal

"A CNN Brasil deixa muito claro que segue as regras e, para lembrar a todos, os debatedores, os senhores e as senhoras que nos acompanham, o trabalho da imprensa no mundo inteiro é considerado um trabalho essencial nesse momento de pandemia. Quem diz isso não sou eu, é a Organização Mundial da Saúde", disse ela.

Debate ou jantar?

Um dos primeiros embates que Coppolla travou na CNN talvez seja também um dos mais marcantes. Quando Gabriela Prioli ainda fazia parte de "O Grande Debate", ela e o bacharel em direito debatiam o governo Bolsonaro. Foi aí que Coppolla defendeu o presidente quando falava dos atritos entre os poderes Legislativo e Executivo.

Gabriela então argumentou: "Ele mente dizendo que não convocou as manifestações, sendo que ele fez uma fala pública, chamando as pessoas para as ruas, em Roraima. E é curioso, quando ele diz que a gente precisa deixar de lado a picuinha depois de ter passado o dia inteiro chancelando manifestações, que aconteceram no meio de uma pandemia. Bolsonaro mantém uma personalidade tão egoísta, que ele é capaz de colocar o interesse dele em detrimento do interesse do povo brasileiro".

A internet pirou com o comentário de Prioli, e argumentou que ela teria "jantado" o colega de debate.

Televisão