PUBLICIDADE
Topo

Dançarina expõe conversa que teve com MC Livinho e diz ter sido ameaçada

"O que você realmente quer? Se não é like, se não é nada disso, é o que?", perguntou Livinho para Raielli na conversa - Reprodução/Facebook
'O que você realmente quer? Se não é like, se não é nada disso, é o que?', perguntou Livinho para Raielli na conversa Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

04/06/2020 11h58

A dançarina Raielli Leon publicou na madrugada de hoje uma série de stories em seu Instagram com mensagens que havia trocado com o cantor MC Livinho após acusá-lo na última terça-feira (02) de racismo na gravação de um clipe.

Na conversa, Livinho disse que a dançarina "não precisa disso", pediu desculpas por tê-la magoado e falou que espera que Raielli um dia volte a admirá-lo.

"O que você realmente quer? Se não é like, se não é nada disso, é o quê?", perguntou Livinho para Raielli na conversa.

"Quero levar o processo adiante e ter justiça. O ódio que sinto é reflexo da violência que sofri", respondeu a dançarina.

Em um momento anterior, Raielli disse que Livinho e sua equipe "compraram" sua advogada, a fizeram perder trabalhos e a ameaçaram.

Antes de revelar as mensagens que havia trocado com Livinho, a dançarina agradeceu o apoio que vem recebendo.

"Faz toda a diferença para mim saber que não estou sozinha nesse momento [...] Eu estou recebendo muitas mensagens de pessoas dizendo que estou querendo fama, que estou querendo mídia, querendo me aparecer", disse.

Raielli também disse que Livinho não havia se desculpado com ela até então pelo episódio.

Na última terça-feira, Raielli acusou Livinho de ter sido racista e a assediado na gravação de um clipe em novembro de 2017.

Segundo a dançarina, Livinho teria colocado um celular e um anel em seu cabelo crespo e falado que ela teria 'roubado' os objetos.

Após as revelações da dançarina, Livinho fez uma live no Instagram dizendo que havia pedido desculpas para Raielli na época, e que tudo não passou de uma 'brincadeira'.

Nos stories publicados ontem, o músico assumiu a atitude e tentou explicar a sua versão dos fatos.

"Eu pensei em Todo Mundo em Pânico [filme de comédia], que o mano tira um baseado da cabeça. Tipo, na hora veio isso - vou tirar o celular da cabeça zoando. Não tem nada racista nisso, só que eu percebi que ela não gostou", disse ele na rede social.

Famosos