PUBLICIDADE
Topo

Emicida critica quem o joga contra Mano Brown e Djonga por não ir em ato

Rapper rebateu crítica de sociólogo por seu posicionamento - Folhapress
Rapper rebateu crítica de sociólogo por seu posicionamento Imagem: Folhapress

Do UOL, em São Paulo

09/06/2020 09h25Atualizada em 09/06/2020 12h09

O rapper Emicida respondeu as críticas feitas pelo sociólogo e cientista político Emir Sader pelo posicionamento do cantor de não ir aos protestos antirracistas do último domingo (7) pensando na pandemia de coronavírus.

"A esquerda aliada de vocês vai passar a semana toda tentando colocar Djonga, Brown e eu como se estivéssemos em campos opostos", escreveu o rapper no seu Twitter oficial. Djonga e Mano Brown foram aos protestos do domingo e divulgaram nas redes sociais fotos e vídeos.

"Minha pauta é sobrevivência de gente igual a mim", continuou Emicida ao retuitar o que Emir Sader havia escrito.

O filósofo disse que o cantor errou ao não comparecer nos atos e que "querendo ser mais inteligente, não foi".

Emicida decidiu não ir aos atos antirracistas do final de semana explicando que as aglomerações poderiam gerar um alto número de contágio.

"Por mais legítimos que sejam nossos motivos, é pular na ciranda da necropolítica e levar uma onda de contágio pior do que essa que já está dentro das comunidades onde vive quem a gente ama. Isso é parte do plano deles", disse em um vídeo publicado nas suas redes sociais.

Novo single: 'Sementes'

Hoje Emicida lançou um novo single, em parceria com a também raper Drik Barbosa.

Em "Sementes", a dupla canta contra o trabalho infantil, marcando a proximidade do dia mundial que aborda esta causa, em 12 de junho.

Emicida diz que o quadro deve piorar com a covid-19. "A gente vive um momento em que é necessário falar sobre a problemática da covid-19 nas periferias. Isso é urgente. A persistente falta de atenção dada ao trabalho infantil, algo que vem bem antes dessa pandemia surgir, se agrava ainda mais neste período, que deveria ser de paralisação e isolamento, mas resulta no inverso: mais crianças sendo empurradas para uma situação de trabalho desumano", diz o rapper.

Famosos