PUBLICIDADE
Topo

TV e Famosos

Adriana Araújo estreia no Repórter Record Investigação e nega climão no JR

Adriana Araújo - Divulgação/ RecordTV/ Edu Moraes
Adriana Araújo Imagem: Divulgação/ RecordTV/ Edu Moraes

Rafael Godinho

Do UOL, no Rio

23/07/2020 12h00

Após 14 anos como âncora no "Jornal da Record", Adriana Araújo estreia no "Repórter Record Investigação", na noite desta quinta-feira (23). Ao UOL, a jornalista negou qualquer "climão" com sua saída repentina do telejornal do horário nobre da RecordTV. Totalmente entregue ao novo projeto, ela revelou ter passado oito dias comendo marmita fria no sertão para captar imagens do programa.

"Para que eu possa atuar como âncora do 'Repórter Record Investigação' e também como repórter, me propus a fazer a primeira matéria antes da estreia. Depois que o programa começa, com gravações semanais em estúdio, fica difícil viajar. Foram 8 dias intensos de captação, comendo marmita fria de mandioca e batata doce no sertão, mas valeu a pena."

Apesar do perrengue, Adriana elogiou a equipe que a acompanhou, mas evitou dar mais detalhes da pauta. "Essa viagem me reconectou com minha alma de repórter, para contar as histórias de quem não tem escolhas, brasileiros esquecidos. A denúncia social é a principal proposta do 'Repórter Record Investigação' e isso me motiva e desafia."

Para a jornalista, sair da bancada para exercer o seu lado repórter nunca foi uma questão. "Mesmo como apresentadora sempre me senti repórter, sempre que possível fui para as coberturas especiais como o resgate de mineiros no Chile, em 2010; o terremoto no Japão, em 2011; o impeachment da Dilma; e a eleição de Donald Trump. A última cobertura como âncora e repórter foi o Pan do Peru."

Adriana acredita que o público fiel, que a assistia no JR, também irá a acompanhar no investigativo. "Acredito que o carinho do público segue comigo onde eu estiver, porque foi um carinho conquistado com trabalho, muito trabalho, e responsabilidade. Recebo tantos comentários nas redes sociais de boa sorte, de uma torcida genuína, que fico comovida e agradeço. Esse é o maior prêmio para um jornalista, seja na rua ou na bancada."

A apresentadora está empolgada com a nova fase. "Vai ser uma Adriana com rodinhas nos pés. Vou tentar viajar e fazer reportagens sempre que possível. Ao ser questionada sobre os motivos especulados sobre sua saída, Adriana nega que ficado um climão com os ex-colegas.

"Jornalismo é debate, discussão sobre a abordagem de cada pauta, é natural que surjam divergências; não se concorda com tudo sempre. Mas a Record compreendeu plenamente meu desejo de buscar outros caminhos e me ofereceu a oportunidade de trabalhar com uma das equipes mais premiadas da tv brasileira que é a equipe do 'Repórter Record Investigação'. É uma honra e uma grande responsabilidade. Vou me dedicar ao máximo."

Do tempo em que passou no "Jornal da Record", ela só guarda boas lembranças e ressalta sua amizade com Celso Freitas.

"Amadureci como profissional, tive oportunidade de participar de todas as grandes coberturas jornalísticas no Brasil e no exterior. E ainda trabalhei ao lado um grande parceiro de bancada, Celso Freitas, que se tornou um amigo. Foi uma convivência de 14 anos marcada pela lealdade e por muito aprendizado."

TV e Famosos