PUBLICIDADE
Topo

Cantor sertanejo morre ao levar tiro de amigo; polícia crê em acidente

O cantor e sanfoneiro Diego Souza Sá tinha 29 anos - Reprodução/Redes sociais
O cantor e sanfoneiro Diego Souza Sá tinha 29 anos Imagem: Reprodução/Redes sociais

Marília Noleto

Colaboração para o UOL, em Goiânia

14/10/2020 09h53

Uma suposta brincadeira terminou em tragédia na tarde de ontem, em Goiânia. O cantor sertanejo e sanfoneiro Diego Souza Sá, de 29 anos, morreu ao levar um tiro dentro de um lava a jato na Avenida 11ª, no Setor Vila Nova. O tiro, investigado como acidental, acertou a vítima no olho.

O autor do disparo é o dono do estabelecimento, um homem de 37 anos, que segue foragido. A polícia acredita que ele se entregará ainda hoje.

De acordo com o padrinho da vítima, Cairo Myron, velório e enterro serão a partir das 10 horas de hoje, no cemitério Jardim das Palmeiras. "Foi uma tragédia o que aconteceu. Um menino maravilhoso, que chegou aqui há 10 anos, cheio de garra, cheio de vida. E a vida reservou para ele esse episódio lamentável", disse Cairo.

Segundo as informações da PCGO (Polícia Civil de Goiás), Diego foi até o lava a jato com um parente, para buscar um carro que haviam deixado. O proprietário, que é amigo de ambos, pegou um revólver calibre 38 que havia comprado para mostrar aos dois. No manuseio, a arma disparou. Aflito, o dono do estabelecimento saiu para buscar socorro, mas acabou não voltando, levando consigo o revólver.

O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas Diego não resistiu. A ocorrência foi atendida pela delegada plantonista Myrian Vidal, que ao chegar no local, constatou que se tratava de um acidente. Desta forma, o suspeito pode responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Diego Souza Sá deixa a mulher e uma filha de dois anos. Ele era natural de São Miguel do Araguaia, no norte de Goiás. Recentemente, para ajudar na renda, passou a trabalhar com a produção de linguiças artesanais, pelo fato de shows estarem suspensos, devido à pandemia de covid-19.