PUBLICIDADE
Topo

Televisão

Constantino é demitido da Jovem Pan após fala sobre estupro

Do UOL, em São Paulo

04/11/2020 16h32

A Jovem Pan anunciou hoje que o jornalista Rodrigo Constantino foi demitido do quadro de comentaristas da empresa após comentários a respeito do caso de Mariana Ferrer — as falas renderam muitas críticas e repercutiram negativamente nas redes sociais.

Em nota, a Jovem Pan afirmou que acredita que "a vítima não deve ser responsabilizada pelos atos de seu agressor" e comunicou a demissão de Constantino:

Diante do ocorrido nesta quarta-feira em uma live independente promovida fora de nossas plataformas por um de nossos comentaristas, o Grupo Jovem Pan esclarece que desaprova veementemente todo o conteúdo publicado nos canais pessoais e apresentado nessa live. Reafirmamos que as opiniões de nossos comentaristas são independentes e necessariamente não representam a opinião do Grupo Jovem Pan"

"Reafirmamos que as opiniões de nossos comentaristas são independentes e necessariamente não representam a opinião do Grupo Jovem Pan. No caso de Mariana Ferrer, defendemos que a vítima não deve ser responsabilizada pelos atos de seu agressor, apesar do respeito que todos nós devemos ter às decisões judiciais", continua o comunicado.

"Em consequência do episódio, na tarde desta quarta-feira (4/11) Rodrigo Constantino foi desligado de nosso quadro de comentaristas", finaliza a Jovem Pan.

Em seu perfil do Twitter, Constantino declarou que a emissora não resistiu à pressão feita pelo público e negou ter feito apologia ao estupro: "A pressão foi tão grande sobre a Jovem Pan, distorcendo claramente minha fala, que não resistiram", diz no texto.

A princípio, Rodrigo chegou a agradecer a Jovem Pan "pelo espaço live, pela confiança". Na sequência, no entanto, após a rádio soltar uma nota oficial, o jornalista partiu para o ataque. "Assim, meu respeito cai um tantinho, turma. Jornalismo? Então vamos lá: quem viu a live sabe que não falava do caso particular da Ferrer", escreveu.

O comentário de Constantino

Durante uma transmissão ao vivo publicada em seu canal no YouTube, Constantino disse que não faria denúncia se a filha dele tivesse sofrido um estupro enquanto estivesse bêbada — o comentarista abordou, na manhã de hoje, a absolvição de André de Camargo Aranha, acusado de estuprar Mariana Ferrer em 2018.

Mais cedo, o jornalista também comparou o caso da jovem ao ato de dirigir embriagado.

Pressão na Record

Depois do anúncio da saída de Rodrigo da Jovem Pan, se iniciou nas redes uma campanha para que ele fosse demitido também da Record. Ele faz participações nos programas de TV da emissora e também escreve no portal R7.

Procurada pelo UOL para comentar o assunto, a Record disse ainda não ter um posicionamento sobre o caso. Assim que a emissora se pronunciar, o texto será atualizado.

Até Anitta ataca

Depois de Rodrigo anunciar a saída da rádio, até a cantora Anitta usou sua página para mandar uma mensagem. E o texto não foi nada amigável.

Então, moço. Radio é coisa profrana. Radio toca música do mundo, rádio toca Anitta, essa feminista vadia, mocréia etc etc... Melhor buscar trabalho num lugar mais decente. O senhor é um ser de nível mais elevado, vai achar rápido", ironizou.

A mensagem foi em resposta ao post de Rodrigo que falava sobre a pressão em cima da Jovem Pan, distorcendo o que ele tinha falado.

Anitta também usou a página do Instagram de Constantino para falar sobre os comentários.

"Coitada da sua filha e de você que nunca vai saber quem são seus filhos de verdade porque nunca vão compartilhar a vida deles com um ser vivo desse", disse.

"Se eu te encontrar dormindo no sofá (ou porque você bebeu um pouco a mais numa reunião de amigos ou porque alguém colocou uma droga na sua água para não ter que ouvir essas bostas que você fala e eu comer seu c* com um cintaralho, a culpa também foi sua, então? Só para saber caso alguém esteja interessado", completou em comentário que foi apagado depois.

Vera Magalhães questiona Constantino

Apresentadora do "Roda Viva" e ex-Jovem Pan, Vera Magalhães questionou duramente a emissora sobre o caso, cobrando um posicionamento da empresa no Twitter: "Colegas e amigos da Jovem Pan: há um limite ético e civilizatório até o qual se pode chegar. Apologia ao estupro ultrapassa em muito esses limites. Ou vocês reagem a isso de maneira clara ou serão sempre confundidos com essa escória moral, esse lixo humano. Não há escolha".

Antes, Vera também repudiou os comentários de Constantino: "Meu maior orgulho e minha maior alegria são o fato de que esse indigente moral, intelectual e mental tenha me escolhido como sua antípoda. Ser o oposto dele é tranquilizador. Que nojo".

Apoio de bolsonaristas

Nas redes, Rodrigo recebeu apoio de algumas pessoas ligadas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"Sinto muito, perde a Jovem Pan e perdem seus ouvintes que éramos brindados com as suas análises políticas muito acuradas", escreveu a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF). O comentarista agradeceu o apoio: "Obrigado, deputada. O jogo é sujo e pesado...".

Errata: o texto foi atualizado
Bia Kicis é deputada pelo Distrito Federal, e não pelo Rio de Janeiro. A informação foi corrigida.

Televisão