PUBLICIDADE
Topo

Mãe de Yudi diz que viu a morte de perto ao ser internada com covid-19

Yudi Tamashiro e Tânia, sua mãe - Reprodução/Instagram
Yudi Tamashiro e Tânia, sua mãe Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

31/03/2021 07h19

Tânia Tamashiro, mãe de Yudi, teve alta do hospital no domingo (28) após internação por causa da covid-19. No Instagram do filho, ela fez um longo desabafo e alertou os seguidores sobre os riscos do vírus.

"Fiz questão de fazer um vídeo falando que eu venci a covid-19. Tenho que falar um testemunho forte da minha vida, porque as pessoas estão vivendo esse momento de pandemia, de sofrimento, de dor."

Em seguida, Tânia diz que as pessoas não conseguem mensurar e nem imaginar o que é o coronavírus para cada ser humano. "Cada um sente de uma forma. O meu filho já teve, passou mal e foi parar no hospital."

"Não divulgamos. Mas ele passou mal, ficou isolado. Cada pessoa tem uma forma de sentir. A minha filha, de vinte e quatro anos, teve de maneira assintomática. Não sentiu nada", acrescenta.

Infelizmente, o meu marido, o meu Nelson, está na UTI até agora intubado. Vivendo só nas máquinas. Nele deu de outra forma, deu uma parada cardíaca, uma parada nos rins."

Na segunda-feira (29), o ex-apresentador infantil pediu orações para o pai, que ainda está entubado na UTI por causa de seu tratamento contra o coronavírus.

"A luta ainda não acabou. Orem pela vida do meu pai, Nelson Kiyomitsu, que está em estado grave. Mas creio que Deus fará um milagre e o nome dele será glorificado", escreveu Yudi Tamashiro nas redes sociais.

Tânia completa seu testemunho falando da situação do marido. "Deu uma parada cardíaca, uma parada nos rins. Deu mais forte. Eu sou testemunha do que é a covid-19 no corpo de uma pessoa."

Eu passei doze dias no hospital vendo a morte de perto. É muito triste ter uma coisa andando dentro do seu organismo sem saber explicar o que é."

"As pessoas perguntam o que você está sentindo e você não sabe dizer. Não tem fôlego para falar qual é a dor, o que sente. O maior de tudo é o pavor. O pavor do desconhecido", acrescenta.