PUBLICIDADE
Topo

Gil no dia de combate à LGBTfobia: 'Estar vivo é maior ato de resistência'

Gil Nogueira, ex-BBB, em entrevista ao "Fantástico", da TV Globo - Reprodução/TV Globo
Gil Nogueira, ex-BBB, em entrevista ao 'Fantástico', da TV Globo Imagem: Reprodução/TV Globo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/05/2021 12h50

No dia 17 de maio é celebrado o Dia Internacional de Luta Contra a LGBTfobia. O ex-BBB Gil se pronunciou a respeito da data:

"Neste dia de combate à LGBTfobia que seja mais do que tudo, um dia de reflexão. O Brasil é um dos países que mais mata pessoas LGBT no mundo e estar vivo é ainda o nosso maior ato de resistência. Não deveria ser assim, homofobia é crime!", publicou em seu Twitter.

Na semana passada, o pernambucano sofreu um ataque homofóbico de Flávio Koury, conselheiro do Sport Club.

O jornalista Jamildo Melo divulgou em seu blog um áudio com falas ofensivas de Koury contra Gilberto, após o economista, que desde o "BBB" revelou ser torcedor do time, ir ao clube e gravar uma dancinha que praticava durante o reality.

1,2 milhões de visualizações. Arretado! 1,2 milhões de pessoas achando que o Sport só tem vi*do, só tem bich*. Vai vender é camisa. A viadagem todinha vai comprar? Vai ser lindo!

Gil se pronunciou sobre a fala de Koury e afirmou que esse foi o primeiro ataque homofóbico desde que saiu do "BBB 21".

Em resposta, o ex-BBB anunciou que está escrevendo sua biografia e que a ofensa do conselheiro serviu de motivação para contar sua história — o que também será uma ato de resistência.

Ontem os jogadores do Sport Club entraram em campo com camisetas com homenagem a Gilberto. O time também entrou em campo com uma faixa carregando os dizeres "Não à homofobia".