PUBLICIDADE
Topo

Felipe Neto comemora avaliação ruim do governo Bolsonaro: 'Somos maioria'

Felipe Neto e Jair Bolsonaro - Reprodução/Instagram
Felipe Neto e Jair Bolsonaro Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

08/07/2021 18h31

Crítico do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Felipe Neto usou as redes sociais, na tarde de hoje, para comemorar o recorde de rejeição de 51% do trabalho do político no país - segundo os dados divulgados pela pesquisa do Datafolha.

Em seu perfil no Twitter, o youtuber alertou que ainda há pessoas que precisam acordar para reconhecer a má gestão de Bolsonaro no Brasil, mas celebrou que a rejeição superior a 50% mostra ao presidenciável que ele e sua minoria agora terão de se 'curvar' às maiorias.

Avaliação de RUIM / PÉSSIMO para o governo Bolsonaro acaba de bater 51%. É inacreditável que seja tão pouca gente, mas agora já podemos dizer: somos maioria. Bolsonaro sempre defendeu q as minorias devem se curvar às maiorias. RENUNCIA, BOLSONARO!

Nos comentários, os fãs e admiradores de Felipe Neto endossaram o coro de que Jair Bolsonaro deveria, sim, considerar a renúncia do posto de presidente da república.

"[Os números] deveriam ser pior pelo o que fez na pandemia", comentou um internauta. "Já pode se curvar, Bolsonaro", ironizou outro seguidor. "Vamos torcer para essa maioria não mudar", apontou um terceiro fã.

Segundo pesquisa do Datafolha entre 7 e 8 de julho, com 2.074 pessoas acima de 16 anos de 146 cidade do Brasil, Jair Bolsonaro tem avaliação ruim/péssimo de 51% na gestão do Brasil. Os eleitores que acham ótimo/bom o governo estão na casa dos 24% e as pessoas que classificam o trabalho do presidenciável como regular totalizam 24%. 1% das pessoas entrevistas não souberam opinar.

"Bolsonaro vai cair"

No último dia 26 de junho, Felipe Neto publicou uma mensagem de 'boa noite' aos seus seguidores com seu vídeo dançado a música "Bolsonaro vai cair" em razão da citação do presidente na CPI da covid-19.

O deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) afirmou que o presidente Jair Bolsonaro citou o nome do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), por possível envolvimento em eventuais irregularidades no Ministério da Saúde ao ouvir a denúncia sobre pressão para a importação da vacina indiana Covaxin. Os indícios de que o presidente da república cometeu crime de prevaricação agora estão sendo analisados pelo vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Pedido de ajuda para os jovens

Recentemente, o youtuber também aconselhou os jovens que ainda não são obrigados a votar pela lei, mas tem opção de exercer o direito de cidadão que optem em tirar o título de eleitor para livrar o país de uma reeleição de Bolsonaro.

Se você vai fazer 16 anos (no) ano que vem, ou já fez, por favor, eu te peço do fundo do meu coração, tire o seu título de eleitor. O seu voto vai mudar o Brasil. Faça isso por tudo que passamos nesses anos. Por tudo que vivemos. Tire seu título.