PUBLICIDADE
Topo

DJ Rennan da Penha questiona prisão: 'Sou bandido por apertar a mão de um?'

DJ Rennan da Penha disse ter sido preso de forma injusta - Reprodução/Instagram
DJ Rennan da Penha disse ter sido preso de forma injusta Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL

28/07/2021 21h23

O DJ Rennan da Penha abriu o jogo e falou sobre sua prisão, em 2019, quando foi acusado de associação com tráfico de drogas, e revelou ter perdido várias oportunidades profissionais devido ao ocorrido, que teve grande repercussão na imprensa nacional.

Em entrevista para o canal do YouTube do influenciador Lucas Selfie, o artista afirmou que sua vida ficou parada por um ano e meio por causa das "duas prisões incompetentes" sofridas por ele, e pondera que não consegue reaver o tempo perdido. Ainda, o DJ questionou se o fato de ele ter "apertado a mão de um bandido" também faz com que ele seja criminoso.

Rennan da Penha fez essa declaração devido à ocasião em que ele foi visto falando com um traficante do Rio de Janeiro. Nesse momento, o DJ pergunta se as pessoas que apertaram a mão do ex-governador fluminense, Sérgio Cabral, condenado 17 vezes pela justiça do Rio, em uma pena que soma 342 anos de prisão, também podem ser consideradas criminosas.

"Se eu sou bandido por apertar a mão do bandido da favela, que só tem aquela vida ali, que pode ser preso a qualquer momento, quem apertou a mão do Sérgio Cabral também é bandido, irmão", afirmou Rennan.

Durante a entrevista, o artista admitiu que conhece o traficante, mas que isso não faz com que ele seja criminoso, e tampouco possa reverter a mentalidade da pessoa para deixar a criminalidade. Ele conta que já perdeu amigos para o crime, e culpa o Estado pela ineficiência em resolver a questão do tráfico nas comunidades. "Não tem lógica me atacar por ter apertado a mão de um bandido da comunidade", ponderou.

"Tô na comunidade, fazendo baile, o Estado não mudou a situação lá, a culpa é minha? Eu conheço a pessoa, não vou negar, não posso mudar a opinião, mas e se desse ruim? Se eu não fosse o Rennan da Penha e não tivesse conquistado nada? Eu seria ainda o mesmo, morando ali", refletiu.

Por fim, o DJ conta que ficou emocionado com a mobilização feita em prol de sua liberdade na época em que ela estava preso, e acredita que o apoio da população foi porque as pessoas "realmente viram que eu não tinha nada a ver com aquilo do que estão me acusando".

Rennnan da Penha foi solto em 2019 após ter sido beneficiado por uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que deu parecer favorável contra a prisão após condenação em segunda instância. O artista ficou detido na penitenciária Alfredo Tranjan, conhecido como Bangu 2, no Rio de Janeiro.

Em recente entrevista ao jornal O Globo, ele contou que tem lembranças ruins da prisão e acredita seguir livre após a conclusão do processo em andamento.