PUBLICIDADE
Topo

Paulo Vieira lembra piada que fez a político acusado de trabalho escravo

Paulo Vieira no Conversa com Bial  - Reprodução/vídeo
Paulo Vieira no Conversa com Bial Imagem: Reprodução/vídeo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/08/2021 13h44Atualizada em 01/08/2021 13h44

Paulo Vieira, de 28 anos, relembrou o início de sua carreira no humor em Tocantins. Segundo ele, a política era um tema tão recorrente em seus shows que um colega chegou a comentar. "O Paulo só vai descansar quando ele for assassinado e virar um mártir da comédia".

Ao falar sobre o assunto, o comediante explica. "Eu fazia muita piada de político, por exemplo, uma vez tinha um político de Palmas, que foi acusado de trabalho escravo, foi ao meu show, então puxei ele e disse: 'Vamos cantar juntos, escravos de Jó, jogavam caxangá'", lembrou Paulo Vieira em entrevista ao podcast Vênus.

"Eu sempre quis ser essa pessoa sem limite na político de lá, saber o que eu podia fazer, muito na necessidade de saber quem sou eu e o que posso fazer. Que tipo de voz eu tenho e a cena de comédia de Tocantins me ajudou muito nisso", explicou.

Com o sucesso dos shows, Paulo Vieira comentou sobre como começou a fazer sucesso em São Paulo, mesmo realizando apenas shows em Tocantins. "E isso foi acontecendo [os shows irreverentes], só que como eu trazia pessoas de São Paulo para fazer show com a gente, a galera gostava e voltava falando bem de mim aqui na capital, e isso ajuda muito [a trazer novas oportunidades]", acrescentou o humorista.

Sucesso na Globo atualmente, Paulo Vieira despontou ao sucesso televisivo após estrear no "Programa do Porchat", que era exibido na Record TV. Na atração, ele era encarregado pelo alívio cômico e protagonizar esquetes, principalmente do quadro "Emergente Como a Gente".