PUBLICIDADE
Topo

Karol Conká fala sobre saúde mental após 'BBB 21': 'Não cair em depressão'

Karol Conká reflete sobre saúde mental seis meses após o fim do BBB - Reprodução/Instagram
Karol Conká reflete sobre saúde mental seis meses após o fim do BBB Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/08/2021 11h00

Com o fim do Big Brother Brasil 21, Karol Conká contou em recente entrevista ao podcast do Whindersson Nunes que ainda tem traumas após sua participação no reality show, em que saiu com a maior rejeição da história, com 99,17% dos votos do público.

"Minha batalha é para não cair numa depressão. Faço acompanhamento para isso. Tem várias coisas que pegam para mim, desde o trauma de se expor, se reconhecer ali naquelas atitudes ruins, a me sentir vendida. Sinto uma coisa, como se fosse um negócio, que as pessoas jogam para lá e para cá e tiram suas próprias conclusões", explicou a cantora.

Karol - Reprodução/Youtube - Reprodução/Youtube
Karol Conká em entrevista ao Whindersson Nunes
Imagem: Reprodução/Youtube

Ela ainda falou sobre ser muito cobrada nas redes sociais para falar sobre o assunto, que ela prefere não fazer por não estar 100% bem. "É claro que eu consigo dar risada de algumas coisas. Mas se fosse em outra situação essa entrevista, a gente estaria rindo muito mais."

Karol assumiu os erros que cometeu dentro do BBB, e diz que tenta mudar a todo dia. Mas, apesar de estar fazendo progresso, ainda enfrenta a desconfiança de muitas pessoas.

"Então, não vai trazer nada de bom para essas pessoas transferir a angústia delas para cima de mim, que estou tentando ser uma pessoa melhor, que estou fazendo exatamente o que me pediram para fazer. Ouvia: "vai se tratar, vai ser uma pessoa melhor". Aí estou nesse processo e continuam: "Tá fingindo. Olha lá, está atuando. Não chorou na saída do reality, está chorando agora porque?".

O comediante ainda falou que ele era uma das pessoas que julgou a cantora durante sua passagem pelo programa, que chegou até parar de segui-la quando ela foi acusada de xenofobia. Contudo, Whindersson pensou melhor ao ver que o 'hate' nela estava descontrolado. "Comecei a pensar, se é real a história de fé, de energia, se for verdade isso. Se depender de tudo isso que estou lendo, a pessoa vai sair de lá com um outro braço na barriga. Não vou participar dessa parada", disse o apresentador.

Apesar de todo o ódio que recebeu, a artista explicou que recebeu muito apoio também. "No meu inbox eu consegui ver pessoas me mandando mensagens lindas. Em alguns casos, no alto existiam mensagens antigas delas me detonando no início do programa. Gente que mudou a visão mesmo", finalizou a cantora.