PUBLICIDADE
Topo

Polícia investiga agressão a cinegrafista da GloboNews em Aparecida

Leandro Matozo, cinegrafista da GloboNews - Reprodução/Twitter
Leandro Matozo, cinegrafista da GloboNews Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

13/10/2021 16h55Atualizada em 13/10/2021 22h08

A Polícia Civil abriu um boletim de ocorrência e está investigando a agressão contra Leandro Matozo, cinegrafista da GloboNews, que ocorreu durante a tarde de ontem em Aparecida. A informação foi confirmada pela SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo).

De acordo com o SJSP (Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo), o agressor se chama Gustavo Milsoni. Ele é professor da Escola Estadual Cid Boucault, em Mogi das Cruzes (SP), e apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Os dois foram ouvidos pelos policiais, que registraram um BOPM, e os orientaram a prosseguir com o registro do fato na delegacia da área. A Polícia Civil, ao tomar conhecimento do caso, registrou um boletim de ocorrência e trabalha para esclarecer todas as circunstâncias dos fatos.
diz o comunicado da SSP-SP

O comunicado da SSP-SP também esclarece que os agentes encontraram o cinegrafista e o professor, que apresentava ferimentos. Ele se recusou a passar por atendimento médico.

A Seduc-SP (Secretaria da Educação do Estado de São Paulo) também se manifestou repudiando qualquer violência "dentro ou fora do ambiente escolar".

A Seduc-SP e a Diretoria de Ensino estão apurando o fato e, após a apuração, as medidas cabíveis serão tomadas. A Pasta ressalta que está à disposição para colaborar com o que for preciso.
diz o comunicado da Seduc-SP

O sindicato dos jornalistas de São Paulo também usou as redes sociais para lamentar o ocorrido.

Relatos da agressão

O SJSP relata que o agressor se aproximou e ofendeu a equipe com xingamentos. Ele teria dito: "se eu pudesse, matava vocês". Em seguida, deu uma cabeçada no rosto de Matozo. O cinegrafista teve sangramento no nariz.

O episódio foi comentado pelo repórter Victor Ferreira, que cobria as comemorações do dia da padroeira do Brasil acompanhado de Matozo. Eles se preparavam para uma entrada ao vivo.

Matozo também narrou o caso e lamentou a situação. O profissional também ressaltou que a liberdade de imprensa é "essencial para o progresso desse país". Segundo ele, medidas judiciais "estão em andamento".