PUBLICIDADE
Topo

Bilionário condenado à prisão perpétua é suspeito de matar esposa em 1982

Robert Durst foi condenado à prisão perpétua pelo assassinato de sua melhor amiga em 2000 - Mike Segar/Reuters
Robert Durst foi condenado à prisão perpétua pelo assassinato de sua melhor amiga em 2000 Imagem: Mike Segar/Reuters

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/10/2021 16h13Atualizada em 22/10/2021 21h53

O bilionário Robert Durst, herdeiro do setor imobiliário, vai responder por um novo crime. Ele, que aos 78 foi condenado à prisão perpétua pelo assassinato de sua melhor amiga em 2000, agora é suspeito de matar a ex-mulher, Kathie Durst, que desapareceu em 1982.

Um investigador da polícia estadual entrou com uma queixa criminal em um tribunal de Nova York, acusando o magnata de assassinato. Na época do desaparecimento de Kathie, a investigação envolvendo o Robert não foi feita por nenhum policial ou promotoria.

Agora, a promotora distrital de Westchester, Mimi Rocah, convocou um júri para considerar as acusações.

"Uma queixa acusando Robert Durst pelo assassinato de Kathleen Durst foi apresentada no Tribunal Municipal de Lewisboro em 19 de outubro de 2021", disse um comunicado hoje.

Kathie Durst tinha 29 anos quando desapareceu em 31 de janeiro de 1982. Seu corpo nunca foi encontrado e, a pedido da família, ela foi declarada legalmente morta em 2017. Robert Durst se divorciou de Kathie em 1990, alegando abandono.

Prisão perpétua

O magnata de 78 foi condenado à prisão perpétua no dia 14 de outubro. Ele foi considerado culpado no dia 17 de setembro pelo assassinato de sua melhor amiga, Susan Berman, em 2000, para impedi-la de falar com a polícia sobre o desaparecimento da mulher do bilionário.

Sua sentença por assassinato em primeiro grau exclui qualquer possibilidade de liberdade condicional, informou a BBC. Segundo o Deadline, o condenado se sentou em uma cadeira de rodas na sala do tribunal para receber a sentença.

A história de Robert foi tratada no explosivo documentário da HBO "The Jinx".

No final da produção, ele murmura para si mesmo: "pronto, te pegaram" e "matei todos eles, claro", sem saber que um microfone em sua roupa estava ligado quando ele interrompeu a gravação para ir ao banheiro.

A morte de Susan Berman e a acusação envolvendo Kathie não são as primeiras em que Durst enfrenta um julgamento. Em 2003, ele disse à polícia que matou e esquartejou um vizinho em Galveston, no Texas, dois anos antes.