A pedra no sapato da Globo

Fabíola Reipert comemora audiência do quadro A Hora da Venenosa na Record, há um ano na liderança

Gilvan Marques Do UOL, em São Paulo
Mariana Pekin/UOL

Difícil imaginar hoje que, até pouco tempo atrás, Fabíola Reipert era um rosto pouco conhecido do público. A jornalista de 46 anos já "causava" com o seu blog sobre o mundo dos famosos, mas não pensava em passar para a frente das câmeras.

O convite para estrear uma atração na TV com as mesmas notas provocativas que publicava na internet ocorreu há cinco anos. "A Hora da Venenosa" apareceu como um pequeno quadro dentro do Balanço Geral, em que divide a bancada com Reinaldo Gottino e Renato Lombardi.

A mistura de programa policial com notícias sobre celebridades e uma pitada de humor trash, bastante improvável até hoje, deu certo: começou com 15 minutos em 2014, passou para 45 e hoje tem uma hora de duração, ocupando um terço do programa.

Mais do que isso: é líder de audiência há exatos doze meses e apontado por mudanças na programação da líder Globo, como a extinção do tradicionalíssimo "Vídeo Show", no ar por 36 anos, e mudanças no tempo de duração do "Jornal Hoje". Vitórias que ela comemora com um sorriso tímido:

Ganhar da Globo sempre terá um gostinho diferente, de satisfação.

Apesar das frequentes vitórias num dos horários mais disputados pelas emissoras, Fabíola garante que não fica "paranoica" com os números e é cautelosa nas palavras. Não quer passar a imagem de "arrogante" ou "nariz empinado", como ela mesma diz.

"Até porque a vida é uma roda gigante: hoje você está aqui em cima, amanhã pode não estar mais", pondera.

Durante 50 minutos de conversa, Fabíola relembra a mudança inesperada para televisão, a decisão de segurar a língua afiada e as "dezenas" de processos de que já foi alvo ao longo dos 21 anos de carreira.

Na entrevista a seguir, ela também critica o que chama de "mundo hipócrita e pantanoso das celebridades" e confirma ter sido procurada pelo SBT.

Ouça a íntegra da conversa com Fabíola Reipert no podcast UOL Entrevista. A entrevista completa em vídeo com a apresentadora está disponível no canal do YouTube do UOL. Continue nesta página para ler o texto.

Mariana Pekin/UOL Mariana Pekin/UOL

"Mundo dos famosos é pantanoso"

Fabíola já viu (e noticiou) de tudo ao longo dos seus 21 anos cobrindo celebridades, como ela mesma relembra: famoso com ego inflado que dá ataque em público, a mudança de comportamento após as câmeras serem desligadas ou rivais tentando puxar o tapete um do outro.

A língua ferina que lhe fez ganhar apelidos como "venenosa" ou "cobríula" não se intimida ao resumir o mundo dos holofotes como "pantanoso e hipócrita".

São pessoas que querem ganhar dinheiro, querem ganhar as regalias que conseguem... Mas quando o jornalista descobre algo que não as agrada, daí eles viram bicho. A maioria dos famosos é hipócrita.

As dezenas de processos a que respondeu por anos é a consequência, acredita, de seu trabalho.

No mais conhecido deles, a jornalista foi condenada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo em segunda instância a pagar uma indenização de R$ 72,4 mil a um ex-jogador por danos morais.

Sobre esse caso, ela diz apenas que jamais "vestiria a carapuça" para uma nota "cifrada", aquela que não entrega os nomes dos envolvidos.

"Eu não citei nome de ninguém ali. Se alguém quis me processar... É a mesma coisa de alguém dizer: 'Uma jornalista que faz fofoca na televisão foi vista...' Eu vou lá e me ofendo. Acho bem estranho processo de nota cifrada. Eu não vestiria a carapuça. Você vestiria?", provoca.

Amigos e rivais

  • Flávia Alessandra

    Ela não é uma grande atriz, não é um nome expressivo nas novelas. É uma atriz mediana.

    Imagem: Reprodução/Instagram/@flaviaalessandraoficial
  • Larissa Manoela

    Acho que ela tem um grande futuro pela frente, mas anda meio sumida. Eu vejo mais a Larissa Manoela na Disney com os namorados do que fazendo novelas. A Maisinha a ultrapassou, né?

    Imagem: Reprodução/Instagram
  • Fausto Silva

    Ótimo apresentador e um cara muito generoso. Nos bastidores, fala-se que ele tem um coração do tamanho do mundo. Também, com aquele dinheirão que ganha, acho que deve sobrar tanto que ele ajuda muitas pessoas.

    Imagem: Reprodução/Globo
  • Marília Gabriela

    Certa vez ela ligou nervosa para a redação porque dei uma nota sobre um estresse que teve no programa dela no GNT. Ela ligou brava, queria que eu entregasse a minha fonte. Mas a considero ótima entrevistadora, super inteligente.

    Imagem: Reprodução/Instagram
  • Zezé di Camargo

    Algumas notas que eu dei no meu blog ele não gostou, ficou bravo, me xingou. Daí eu xinguei também. Mas hoje a gente fez as pazes. Está tudo bem. Gosto muito do Zezé, considero ele bem transparente.

    Imagem: Imagem/Divulgação
  • Aguinaldo Silva

    Ele me chamava de "frango da Sadia" porque eu dava a notícia muito rápido. Mas hoje em dia a gente se dá super bem. É um cara ótimo, muito inteligente, um gênio. Gosto muito do Aguinaldo, como autor e pessoa.

    Imagem: TV Globo/Divulgação

Mudança de estilo na TV: "Tenho que me controlar"

Quem acompanha a carreira de Fabíola Reipert percebe que ela mudou desde que estreou na TV: está menos "azeda" e muito mais contida nas notícias que leva ao ar.

É cautelosa, meticulosa, até mesmo na entrevista ao UOL, quando recorre à assessoria da Record em alguns momentos para responder às perguntas.

Com a transferência da internet para a televisão há cinco anos, a jornalista conta que passou a refletir sobre o alcance que atingiria e chegou à conclusão que era necessário segurar (um pouco) a língua afiada.

"Se eu fosse falar tudo o que quero, tudo o que eu penso, tudo o que eu sei, meu filho, O bicho ia pegar!", diz, aos risos. Tenho que me segurar, me controlar. Tenho que ter responsabilidade naquilo que eu falo. Responsabilidade por mim e pela emissora", completa ela, que garante não ter recebido nenhuma orientação ao assumir as tardes da Record:

Ninguém mandou eu mudar o tom. Senti que precisava fazer isso, caso contrário passaria a imagem de antipática na televisão.

A "venenosa", no entanto, rejeita por várias vezes durante a conversa a palavra mudança. Garante que continua a mesma Fabíola de antes.

Separação, ameaça e B.O.

O escândalo entre Joelma e Ximbinha rendeu bons furos a Fabíola Reipert, no "A Hora da Venenosa". A colunista fez uma intensa cobertura do caso: traição, crise, separação e a troca de acusações.

A repercussão das notas fez também com que a jornalista virasse o alvo predileto de parte dos fãs da cantora. Eles descobriram, ela conta, seu endereço e o número do celular e passaram a ameaçar não só a ela, mas também sua família.

"Eu lembro que quando acordava, tinha mais de 2 mil mensagens no WhatsApp e estava enfiada em vários grupos. Não aguentava mais sair de grupos, porque eles me colocavam novamente. Tive que trocar o número do meu celular", conta.

Recebi mensagens de gente falando que viria na porta da Record 'me pegar'. Fui na delegacia de crimes de internet registrar o boletim de ocorrência. Esses fanáticos são capazes de fazer qualquer coisa pelo ídolo deles. Fiquei apavorada com esse episódio.

Passado o episódio, Fabíola conta que os fãs aos poucos a esqueceram e que até se reaproximou da cantora. O reencontro das duas aconteceu 2017, quando Joelma visitou o Balanço Geral para divulgar o seu trabalho.

Mariana Pekin/UOL Mariana Pekin/UOL

Vida de celebridade: "Não gosto de me expor"

Ao contrário de muitas celebridades que acompanha, Fabíola Reipert mantém uma vida discreta. Nos últimos anos, no entanto, já começou a sentir os efeitos da exposição diária na televisão: é reconhecida quase que diariamente nas ruas, assediada por anônimos e, como é inevitável, passou a ser alvo do noticiário em que antes costumava ditar as regras.

Em 2018, por exemplo, um site publicou a seguinte notícia: "À beira da morte? Fabíola Reipert é internada às pressas e estado emociona".

O título sensacionalista viralizou nas redes sociais e a jornalista precisou interromper as férias e entrar ao vivo no "Balanço Geral" para esclarecer o boato.

"Eu não fui internada às pressas, foi uma coisa programada. Fui fazer uma cirurgia no rosto chamada lifting facial. Mas não tive nenhuma complicação. Estou tão viva que hoje à noite iria chamar vocês para tomar um cafezinho", disse ela, que também admite ter passado por outras duas cirurgias plásticas: lipoaspiração e mamoplastia.

A ironia de virar assunto do noticiário que sempre cobriu é parte do jogo, mas Fabíola acredita que jornalista não deve ser notícia "de jeito nenhum".

Eu não gosto de me expor, é o meu jeito de ser. Quando eu falo que jornalista não tem que ser notícia, é o que eu penso. Mas se um jornalista quer, é um direito dele. Não vou criticá-lo, nem julgá-lo.

Fora do ar, Fabíola se revela tímida, mas de personalidade forte. Como é comum a muitas famosas, também mão gosta de falar sobre a intimidade.

A jornalista namora há 9 anos e meio com Diogo Trigueiros, que trabalha com finanças e nada tem a ver com o mundo artístico. "Mas a gente não vai se casar. Já moramos juntos, está bom, né?", adianta-se.

Apesar de gostar de crianças, a apresentadora é enfática ao descartar a possibilidade de ter filhos. "Não quero ser mãe, nem ele quer ser pai. Adoro criança, mas não tenho vontade de ser mãe. Essa vocação não nasceu em mim".

Sondada por Silvio Santos? "Avisa lá que eu vou te contratar"

No ano passado, Fabíola Reipert participou do Jogo dos Pontinhos, quadro do Programa Silvio Santos, ao lado de Leo Dias. Impressionado com o sucesso do A Hora da Venenosa, o dono do SBT Silvio Santos revelou o desejo de tirá-la da Record.

"Avisa lá o diretor que liberou você para participar deste programa que eu vou te contratar. Quanto você ganha na Record? Vou te pagar três vezes mais", disse, do seu jeito direto, o dono do baú.

No ar, tudo soou como mais uma piada, mas dias depois soube-se que Silvio não estava de brincadeira. Em junho último, o colunista do UOL Flávio Ricco informou o interesse do SBT na apresentadora.

Fabíola confirma o contato da emissora concorrente, mas avisa que não recebeu uma proposta concreta.

Recebi a ligação de uma pessoa do SBT perguntando se eu estava feliz na Record. Foi somente isso, mas não teve nenhuma proposta.

"Estou muito bem na Record. Enquanto não me mandarem embora, não saio, quero continuar aqui", completa

Curtiu? Compartilhe.

Topo