PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Chico Barney


Amor de Mãe não desperdiça o tempo dos seus atores

Sandro (Humberto Carrão) e (Taís Araujo) em Amor de Mãe - REPRODUÇÃO/REDE GLOBO
Sandro (Humberto Carrão) e (Taís Araujo) em Amor de Mãe Imagem: REPRODUÇÃO/REDE GLOBO
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

30/01/2020 17h58

No episódio dessa semana do podcast UOL Vê TV, destaquei a parcimônia no uso de atores em Amor de Mãe. É ótimo ver que os personagens só aparecem na tela quando são realmente necessários.

Vejam o caso de Sandro, por exemplo. Era filho da Lurdes, estava envolvido com a bandidagem e vivia cheio de dramas pessoais. Em dado momento, descobriu que era filho da Vitória. É claro que ficou indignado, mas logo conheceu o pai e criou laços até com o Tufinho, seu irmão ecoterrorista rebelde.

Depois disso, o personagem partiu para um recuo estratégico de bateria. Passou uns dias fora do radar e só voltou para fazer a novela andar para frente novamente, tanto com a treta em relação à ex-esposa do Tufão Stark quanto para perder o outro filho da Vitória na praia —tramas já solucionadas pela autora, pois a Sapucaí é longa e o tempo ruge.

Tamanha assertividade é salutar por dois motivos: 1) a gasolina está cara, então a Globo economiza a viagem dos artistas até Curicica; 2) também não fica aquele constrangimento tipo o Marco Nanini em A Dona do Pedaço, quando o ator devia perder o dia inteiro para gravar duas cenas horríveis e sem importância.

***

O podcast UOL Vê TV é uma mesa-redonda semanal envolvendo Maurício Stycer, Flávio Ricco, Débora Miranda e este que vos escreve. No episódio dessa semana, ainda tivemos a luminosa presença do narrador Silvio Luiz, um dos pioneiros da televisão brasileira. Prestigiem!

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Chico Barney